Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Os dez mais da anistia

Bruno Abbud O ranking dos 10 mais da lista dos anistiados políticos soma R$ 25.439.875,94 em indenizações. A quantia é suficiente para instalar 26 mil computadores em escolas públicas, equipar 31 hospitais com aparelhos de tomografia e distribuir exemplares do livro ‘Técnicas de interrogatório sem violência’ entre 392 mil militares. As cifras aparecem na folha […]

José Carlos Arouca, primeiro no ranking dos anistiados

Bruno Abbud

O ranking dos 10 mais da lista dos anistiados políticos soma R$ 25.439.875,94 em indenizações. A quantia é suficiente para instalar 26 mil computadores em escolas públicas, equipar 31 hospitais com aparelhos de tomografia e distribuir exemplares do livro ‘Técnicas de interrogatório sem violência’ entre 392 mil militares. As cifras aparecem na folha de pagamento do Ministério do Planejamento. A identificação dos beneficiários exige uma demorada busca na coleção do Diário Oficial da União.

Todas as indenizações foram aprovadas pela Comissão de Anistia, mas nenhum integrante do ranking recebeu integralmente o dinheiro pago em parcelas. Enquanto esperam, recebem pontualmente as pensões mensais fixadas na mesma decisão que calculou o valor da indenização. O n° 1 da lista, José Carlos Arouca, não sabe quando poderá dispor dos R$ 2,9 milhões que lhe valeram a condição de recordista. Mas os R$ 15,6 mil da pensão mensal têm sido regularmente depositados em sua conta bancária.

Aos 75 anos, instalado na banca de advogado perto do centro paulistano, Arouca foi aprovado em 1° lugar num concurso para juiz do Trabalho em 1965. Ele se inscrevera para garantir a sobrevivência financeira ameaçada pela suspensão, decorrente de pressões do governo militar, da assistência jurídica que prestava a vários sindicatos. Não só foi impedido de assumir o cargo de juiz como se viu processado com base na Lei de Segurança Nacional e passou algumas semanas na prisão.

“Eu era filiado ao Partidão”, conta em tom orgulhoso, chamando pelo apelido carinhoso o velho Partido Comunista Brasileiro. “Tinha uma militância política muito intensa junto aos sindicatos”.  Em 1999, 20 anos depois da anistia, o resultado do concurso foi formalmente reconhecido e Arouca se tornou juiz do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. Aposentou-se em  2005 e, no mesmo ano, foi contemplado com a indenização milionária.

A voz parece menos afirmativa quando a conversa trata do dinheiro. “Eu tenho uma porção de opiniões, mas algumas não estão valendo nada no momento”, esquiva-se o ex-juiz, que se nega a confirmar o tamanho da pensão mensal. “Acho que o meu caso está de acordo, está na lei”, diz. “Eles não podiam dar nem mais nem menos”.

Terceiro do ranking, Paulo Cannabrava Filho conseguiu R$ 2,7 milhões, além da pensão de 15.754,80 por mês. Presidente da  Associação Brasileira da Propriedade Intelectual dos Jornalistas Profissionais, Cannabrava recebe o equivalente ao salário médio de um editor. Procurado por VEJA.com, exigiu que a pergunta fosse feita por e-mail. Atendida a exigência, respondeu com admirável concisão: “A VEJA digo: nada a declarar. Assunto encerrado”. Os beneficiários das boladas gostariam que o assunto fosse sepultado para sempre. Os brasileiros que pagam a conta discordam.

O quarto da lista, Renato Leone Mohor, também premiado com R$ 2,7 milhões, teve a reparação equiparada ao salário médio de um chefe de redação: R$ 15,3 mil. Encerrou o telefonema ao saber que conversava com um repórter de VEJA.com.  “Este número é confidencial e não vou te atender, amigo”.

Décimo do ranking, o jornalista e ex-deputado federal Hermano de Deus Nobre Alves não viveu para receber integralmente a indenização de R$ 2,1 milhões. Em julho, aos 86 anos, morreu em Lisboa, onde morava desde 1991. Segundo as regras da anistia, o direito à reparação não é transferível para algum herdeiro.

Entre os relatores, o campeão da generosidade com dinheiro alheio é o advogado Márcio Gontijo. Seis dos 10 nomes entraram no ranking graças ao parecer favorável do conselheiro perdulário. “Eu sou o conselheiro mais antigo da Comissão, muitos processos já passaram pelas minhas mãos”, desconversa Gontijo. E quais foram os critérios que ampararam a gastança?  “Eu me baseio na lei”, acredita. Ninguém sabe exatamente a que lei se refere.

1) José Carlos da Silva Arouca
Indenização: R$ 2.978.185,15

Pensão mensal: R$ 15.652,69.
Relator: Márcio Gontijo

2) Antonieta Vieira dos Santos
Indenização: R$ 2.958.589,08

Pensão mensal: R$ 15.135,65.
Relator: Sueli Aparecida Bellato

3) Paulo Cannabrava Filho
Indenização: R$ 2.770.219,00

Pensão mensal: R$ 15.754,80.
Relator: Márcio Gontijo

4) Renato Leone Mohor
Indenização: R$ 2.713.540,08

Pensão mensal: R$ 15.361,11.
Relator: Hegler José Horta Barbosa

5) Osvaldo Alves
Indenização: R$ 2.672.050,48.

Pensão mensal: R$ 18.095,15.
Relator: Márcio Gontijo

6) José Caetano Lavorato Alves
Indenização: R$ 2.541.693,65

Pensão mensal: R$ 18.976,31.
Relator: Márcio Gontijo

7) Márcio Kleber Del Rio Chagas do Nascimento
Indenização: R$ 2.238.726,71

Pensão mensal: R$ 19.115,17.
Relator: Márcio Gontijo

8 ) José Augusto de Godoy
Indenização: R$ 2.227.120,46

Pensão mensal: R$ 12.454,77.
Relator: Sueli Aparecida Bellato

9) Fernando Pereira Christino
Indenização: R$ 2.178.956,71

Pensão mensal: R$ 19.115,19.
Relator: Márcio Gontijo

10) Hermano de Deus Nobre Alves
Indenização: R$ 2.160.794,62

Pensão mensal: R$ 14.777,50.
Relator: Vanda Davi Fernandes de Oliveira

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    jose carlos golfetti

    Servi à Pátria em 1968, anos duros,ficávamos 24 h de serviço e 48 de prontidão, sem sair do quartel PE, éramos alvos declarados p/ estes terroristas que roubavam matavam, c/ próposito juvenil de instalar o socialismo no Brasil. Hoje são indenizados e recebem absurdas pensões. Só aqui mesmo. república de bananas.

    Curtir

  2. Comentado por:

    José Alcino

    Somente pessoas sem caráter e sem personalidade são capazes de saquear seu povo, sua pátria!
    Temos apenas a foto do primeiro parasita e canalha,José Carlos Arouca. Com esse patriotismo!? Lamento é que não estejam numa lápide de algum cemiterio alimentando os vermes.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Delmar Ritter

    Infelizmente a maioria do povo brasileiro leva a lei de Gerson como regra, com esses bandidos, quadrilheiros, terroristas, anarquistas, não seria diferente:::

    Curtir

  4. Comentado por:

    maria apparecida

    Êsse é o governo que o povo elegeu. Agora é só lamentar e rezar para que um milagre aconteça.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Aldo Grabovski

    Não sei porque tantos comentários surpresos, é tão simples.
    “TODO POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE”
    Você pode mudar na próxima eleição, além do seu voto, quantos mais você consegue para reverter a situação ?
    Vem ai o PMB Partido Militar Brasileiro, vamos terminar o serviço.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Marcondes

    São esses absurdos que levaram o povo as ruas. Esses sanguessugas deveriam de ter pelo menos um pouco de dignidade e escrúpulos. Eu teria vergonha de pegar um dinheiro desses. Esses desmandos é que estão transformando nossas cidades em campos de batalha. Já estamos vivendo clima de guerra civil. Grupos organizados estão praticando táticas de guerrilha e vem mais coisa aí. O caos esta se alastrando e o exército que poderia ser um freio, pelo que se sabe esta desmantelado. Salve-se quem puder.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Marcelo Borela

    Esses são os anistiados ricos (anistiados políticos), enquanto os anistiados pobres (anistiados collor ou anestesiados) ainda buscam voltar ao trabalho após 23 anos de demitidos sem justa causa, apesar da idade avançada de alguns para ganha R$1000,00 ou 2mil reais, sendo humilhados no locais de trabalho!!!

    Curtir

  8. Comentado por:

    Nelson

    Os heroes anistiados de um povo anestesiado.

    Curtir

  9. Comentado por:

    marcelino araujo

    em Pernambuco o bancário falecido Paulo roberto de Araújo foi 1 pese quedo politico na década de iniciada em 1968 e 1970 1980 com sua esposa edineide Maria de Araújo e seu 6 filhos menores em época todo foram pese quedo o em década passada ficando ate sem receber salários durante mais de 1987 ate 1988 e 1989 por motivo politico ordem de personalidade autoridade
    e ordem politica e etc. filho desenvolveram
    deliquescia na escrita e outro problema causado pela pesquisa-o e traumas da época foi muitas coisa situações ate dia atuais … esperando pela comissão da anistia fazer justiça a nosso caso e etc. só saber o como e rum ser 1 pese quedo que real mente foi ok .

    Curtir

  10. Comentado por:

    MARIO GOMES

    Caro Mario, as normas para publicação de comentários no blog não aceitam textos escritos somente em maiúsculas. Confira as regras no link http://wp.me/pJJki-3jS5. Abraços, Branca Nunes.

    Curtir