Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O foguete de Chico Anysio, o fiasco sideral em parceria com a China e a missão em Marte do astronauta Lula

ATUALIZADO ÀS 20H03 O áudio de 3:58 prova que o Brasil já soube contemplar-se com ironia e rir de si próprio, duas virtudes que o livraram de descambar para o terreno do ridículo e virar motivo de galhofa. Gravado nos anos 70, Chico Anysio conta o que aconteceria se algum governo megalomaníaco resolvesse introduzir o […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 04h48 - Publicado em 13 dez 2013, 20h03

ATUALIZADO ÀS 20H03

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=kXJI_z9DR4c?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&w=425&h=344%5D

O áudio de 3:58 prova que o Brasil já soube contemplar-se com ironia e rir de si próprio, duas virtudes que o livraram de descambar para o terreno do ridículo e virar motivo de galhofa. Gravado nos anos 70, Chico Anysio conta o que aconteceria se algum governo megalomaníaco resolvesse introduzir o país na era espacial com o lançamento de um foguete. As gargalhadas coletivas da plateia endossam a narrativa do grande humorista.

Neste 9 de dezembro, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e Academia Chinesa de Tecnologia Espacial se juntaram de novo para o lançamento do satélite CBERS-3 (sigla em inglês para Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres). O foguete de Chico Anysio não consegue subir na hora prevista. O colosso produzido em parceria decolou com três anos de atraso. Meia hora depois, o foguete lançador chinês Longa Marcha 4B se desintegrou antes de entrar em órbita. E arrastou na queda o satélite ambiental brasileiro CBERS-3.

O País do Carnaval torrou no empreendimento mais de R$ 300 milhões. A conta não inclui a gastança da comitiva que baixou na China liderada por dois ministros: Paulo Bernardo (Comunicações) e Marco Antonio Raupp (Ciência e Tecnologia), que voltaram para o Brasil em silêncio. Falou por eles um comunicado do INPE.​ Ainda não foi identificada a causa do malogro, mas os parceiros continuam sonhando com a conquista do espaço.

“Para assegurar o cumprimento dos objetivos do programa CBERS, Brasil e China concordaram em iniciar imediatamente discussões técnicas visando a antecipação da montagem e lançamento do CBERS-4″, avisa um trecho da nota. Três satélites sino-brasileiros estão em órbita. O último transformou em profecia a piada de Chico Anysio.

Ao ler o post, o jornalista Celso Arnaldo Araújo socorreu o colunista com algumas correções, já incorporadas ao texto, e o comentário que se segue: “Acho que o foguete brasileiro imaginado pelo Chico era mesmo um legítimo Ching-Ling”, escreveu Celso Arnaldo. “Mas este não era nosso. O nosso, em meu sonho, teria Lula lançado em missão one-way a Marte onde, ao chegar, ele diria: ‘ Nunca antes neste planeta…’”

Continua após a publicidade
Publicidade