Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O desfile dos perjuros

Além dos fornecedores de camisas de força, o Sanatório Geral mobilizou todos os integrantes do quadro de funcionários ─ médicos, enfermeiros, porteiros, recepcionistas e secretárias ─ para manter sob estreita vigilância o desfile dos perjuros aberto pelo advogado José Luiz Oliveira Lima, defensor de José Dirceu, que tomou toda a terceira sessão do julgamento do […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 08h12 - Publicado em 6 ago 2012, 16h18

Além dos fornecedores de camisas de força, o Sanatório Geral mobilizou todos os integrantes do quadro de funcionários ─ médicos, enfermeiros, porteiros, recepcionistas e secretárias ─ para manter sob estreita vigilância o desfile dos perjuros aberto pelo advogado José Luiz Oliveira Lima, defensor de José Dirceu, que tomou toda a terceira sessão do julgamento do mensalão. As internações se estenderam até o início da noite..

Um dos mais jovens oficiais do exército de 33 bacharéis a serviço dos mensaleiros, Oliveira Lima mereceu liderar a comissão de frente. Ele é incapaz de enxergar pecados ou pecadores. O médico Roger Abdelmassih, por exemplo, foi condenado a 278 anos de prisão por ter estuprado 56 mulheres. Advogado do bandido de jaleco, Oliveira Lima continua a recitar que o cliente não merece castigo nenhum.

Em favor do delinquente foragido, o doutor em impunidade invoca depoimentos de testemunhas de defesa grávidos de elogios a Abdelmassih. Foi o que fez no Supremo Tribunal Federal para provar que o chefe da quadrilha não chefiou a quadrilha. Deve achar que os ministros acreditam em duendes. E que os incontáveis brasileiros honestos que acompanham pela TV Justiça o cortejo dos cínicos não passam de um bando de idiotas.

Publicidade