Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O Brasil quer saber se o sitiante Fernando Bittar é o melhor amigo do mundo ou apenas outro laranja a serviço de Lula

Assim que a história do sítio do Lula que não é do Lula pousou no noticiário político-policial, um dos dois donos oficiais da mais famosa propriedade rural do país, Jonas Suassuna, tratou de afastar-se do local do crime. Foi logo informando que as obras patrocinadas pela OAS, pela Odebrecht e por José Carlos Bumlai haviam […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 30 jul 2020, 23h31 - Publicado em 16 fev 2016, 17h30

Assim que a história do sítio do Lula que não é do Lula pousou no noticiário político-policial, um dos dois donos oficiais da mais famosa propriedade rural do país, Jonas Suassuna, tratou de afastar-se do local do crime. Foi logo informando que as obras patrocinadas pela OAS, pela Odebrecht e por José Carlos Bumlai haviam beneficiado a parte que pertence ao sócio e vizinho Fernando Bittar.

Nesta semana, Suassuna avisou que gostaria de ser ouvido o quanto antes pelos investigadores da Lava Jato. Enquanto um pede para falar, o outro foge do assunto como o vampiro da claridade. Dono oficial da metade em que Lula já se instalou pelo menos 111 vezes, Fernando Bittar continua submerso num silêncio suspeitíssimo.

O surto de mudez tem de ser urgentemente interrompido pela Justiça. Além de esclarecer por que não dá as caras em Atibaia, Bittar precisa dizer se também paga a conta de luz e o salário do caseiro. O país quer saber se ele é o melhor amigo do mundo ou apenas um dos coadjuvantes em outro caso de polícia estrelado por Lula.

http://videos.abril.com.br/veja/id/1434e7a215d60f7d90256452ca256726?

Continua após a publicidade

Publicidade