Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Nos corações, saudades e cinzas” e outras notas

Lula preso será a alegria de parte da população; será a tristeza mortal do outro lado. E as consequências? Infelizmente, Lula preso é um mártir pronto

Publicado na Coluna de Carlos Brickmann

Nosso panorama de hoje está descrito na esplêndida Marcha da 4ª Feira de Cinzas, de Carlos Lyra e Vinícius: “pelas ruas o que se vê/ é uma gente que nem se vê”. Que nem se sorri, nem se beija e se abraça (…)” O país do Carnaval ficou triste, ficou chato, só gente querendo tristeza e prisões.

Lula preso ou Lula solto? O raciocínio não é político: é de vitória ou vingança. Lula preso será a alegria de parte da população, feliz de ver seus desejos atendidos; será a tristeza mortal de outra parte. E as consequências? Lula preso é um mártir pronto. Se ficar na cadeia, mártir, com reportagens de jornais internacionais todos os dias; se sair logo, mártir, e um mártir que com seu exemplo terá vencido tudo e todos. E que, por favor, nada lhe aconteça na prisão, ou o candidato dele decola.

Lula solto é a prova de que vale a pena desafiar juízes, insultá-los, tentar desmoralizá-los ─ e esta será a crença não apenas dos adversários, dos que só se contentariam em vê-lo atrás das grades, algemado e comendo de marmita; vale também para seus aliados, pois a tese é de que decisão da Justiça se combate politicamente.

Lei é lei, acabou-se? O balê de juízes existe, avaliação política existe. Mas, hoje, pensar é arriscado. É só lembrar que a Marcha citada diz, com esperança, “porque são tantas coisas azuis”… Haverá quem acuse os comunistas Lyra e Vinícius de ser coxinhas tucanos hostis ao vermelho.

 

Tudo certo

O presidente Michel Temer, num discurso irrepreensível, disse no Fórum Mundial da Água que o crescimento sustentável está “intimamente ligado” ao acesso à água. Temer tocou no ponto mais importante de toda essa questão: sem acesso livre à água, como molhar as mãos necessárias?

 

O milagre brasileiro

Faz tempo que não chove em Brasília. Há uns três anos chove abaixo da média, esvaziando os reservatórios e provocando duro racionamento (ou melhor,”rodízio” ─ em toda a área do Distrito Federal. O racionamento (ou “rodízio”) começou em janeiro do ano passado. Mas a ação do Governo provocou um milagre: nas áreas onde se realizam as reuniões do Fórum, foi possível suspender o racionamento, veja só, evitando submeter os técnicos estrangeiros aos mesmos sofrimentos impostos aos cidadãos brasilienses. Em resumo, há racionamento a Leste, Oeste, Sul e Norte da metrópole, mas onde se reúnem as equipes do Fórum Mundial da Água, ali já não há seca.

 

Os de sempre

O prefeito João Doria é o grande vencedor das disputas internas do PSDB: aconteça o que acontecer, está livre da incômoda atividade de ser “gestor” de São Paulo. Vença ou não as eleições para o Governo paulista, livrou-se da Prefeitura e daqueles cidadãos chatos que querem ruas limpas, trânsito decente e serviços mais ou menos aceitáveis. O governador Geraldo Alckmin pensa ser o novo dono do partido, mas seu trabalho é outro: conduzir o grupo de intelectuais amigos que se odeiam uns aos outros até uma nova derrota. Alckmin já desempenhou o mesmo trabalho em 2006, quando escondeu na campanha o principal nome do PSDB, Fernando Henrique, e terminou vestindo uma estranha jaqueta com os símbolos de estatais que prometia não privatizar. Levou de Lula uma surra de criar bicho: se é para estatizar, Lula é mais confiável que Alckmin.

 

Cumprindo o ritual

Alckmin se coloca como pré-candidato no momento em que o seu sobrinho Othon César Ribeiro é investigado, por ordem do promotor Sílvio Marques, por suspeita de ter-se beneficiado da concessão de cinco aeroportos no Interior paulista. O pai de Othon, Adhemar Ribeiro, cunhado de Alckmin, foi acusado por delatores da Odebrecht de ter obtido R$ 2 milhões irregulares para a campanha governamental de 2014.

 

Os novidadeiros

O caro leitor se lembra do estojo de primeiros socorros no carro? E do extintor cheio de dispositivos? Tudo pela segurança: como seria possível guiar seu próprio carro de passeio sem ter tudo bem à mão? Todos esses produtos essenciais foram dispensados e esquecidos assim que os donos de automóveis gastaram com eles uma barbaridade de tempo e dinheiro.

A novidade de agora é a troca de placas de todos os veículos do país, obsoletas, claro, pelas essenciais chapas desenhadas para o Mercosul, mais feias e sem nenhuma nova função ─ a não ser custar R$ 260,00 por carro. As autoridades podem não se preocupar com o cidadão, mas jamais irão deixar de se preocupar com aquilo que o cidadão carrega no bolso.

 

Sem exceção

E não se queixe ao bispo: d. Ronaldo Ribeiro, 61, foi preso pela Polícia por suspeita de corrupção na diocese de Formosa, Goiás, a 80 km de Brasília. Até na Igreja Católica!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Paulo Bandarra

    Mais um artigo pregando que é com impunidade que se constrói uma sociedade justa.

    Curtir

  2. Discordo. Lula preso é um corrupto preso e somente isso. Se forem seguidos os caminhos da lei e da justiça (como têm sido), não cabe falar em “mártir”. Deixe isso para os fanáticos e os vigaristas que o seguem. Esses sempre existirão, e podem achar o que bem entenderem. O que importa é preservar o Estado de Direito. Fora dele, acabaremos nos matando uns aos outros.

    Curtir