Clique e assine com 88% de desconto
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Negociante de votos pilhado em flagrante cai fora da eleição e o PT fica sem candidato à prefeitura de São Caetano do Sul

Na noite desta quinta-feira, duas horas depois da rendição de João Paulo Cunha em Osasco, o vereador Edgar Nóbrega desistiu da candidatura a prefeito de São Caetano do Sul e ampliou a zona de turbulência enfrentada pelo PT paulista. Pela primeira vez desde a fundação, o partido vai ficar fora da eleição majoritária num município […]

Por Augusto Nunes - Atualizado em 18 fev 2017, 13h31 - Publicado em 31 ago 2012, 14h59

Na noite desta quinta-feira, duas horas depois da rendição de João Paulo Cunha em Osasco, o vereador Edgar Nóbrega desistiu da candidatura a prefeito de São Caetano do Sul e ampliou a zona de turbulência enfrentada pelo PT paulista. Pela primeira vez desde a fundação, o partido vai ficar fora da eleição majoritária num município do ABC, região onde nasceu.

Nada a ver com o mensalão. Tudo a ver com a corrupção institucionalizada. Nóbrega resolveu cair fora da disputa ─ e sumir da cidade por algum tempo ─ seis dias depois da aparição do vídeo, reproduzido na seção História em Imagens, que mostra o vereador exercendo com muita aplicação o ofício de traficante de votos.

Em Osasco, o deputado delinquente foi substituído pelo candidato a vice. Em São Caetano do Sul, como atesta a reportagem publicada na seção Feira Livre, os estragos provocados pela gravação aconselharam o partido a esquecer a prefeitura. Até o PT achou complicado pedir votos para um candidato que pede dinheiro para vender apoio e comprar votos.

Publicidade