Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Mistérios da paixão

“Estamos mais apaixonados por ela depois que ela foi hostilizada com palavrões”. Vicente Paulo da Silva, o “Vicentinho”, líder do PT na Câmara dos Deputados, durante a convenção do PT paulista, mostrando que o amor é cego até mesmo em tempos de crise política, ao explicar que se apaixona tanto por quem ouve palavrões, como Dilma, […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 03h39 - Publicado em 16 jun 2014, 23h07

“Estamos mais apaixonados por ela depois que ela foi hostilizada com palavrões”.

Vicente Paulo da Silva, o “Vicentinho”, líder do PT na Câmara dos Deputados, durante a convenção do PT paulista, mostrando que o amor é cego até mesmo em tempos de crise política, ao explicar que se apaixona tanto por quem ouve palavrões, como Dilma, quanto por quem vive dizendo palavrões, como Lula.

Publicidade