Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Marilena Chauí conquista o HSV de Julho e desafia: ‘Quero ver se algum homem consegue ter visões e não ter visão nenhuma ao mesmo tempo’

Eduardo Paes conseguiu a medalha de prata e Suplicy completou o pódio

Por Branca Nunes Atualizado em 30 jul 2020, 22h11 - Publicado em 2 ago 2016, 20h22

hsv7

“Dedico a conquista deste título com que sempre sonhei ao presidente Lula e à presidenta Dilma, meus mestres, mentores e guias”, emocionou-se Marilena Chauí na cerimônia de premiação do Homem sem Visão de Julho. “Eu sabia que não é pouca coisa descobrir que o Sérgio Moro é um espião diplomado pelo FBI, mas não imaginei que daria uma surra num concorrente tão perigoso como o Eduardo Paes”.

Ao enxergar Dilma Rousseff na plateia, a filósofa de terreiro desandou na gritaria: “É mais uma prova da supremacia feminina! Não somos apenas histéricas, frias, insensíveis e sem coração!! Somos também campeãs!!! Quero ver se alguém consegue ter visões e não ter nenhuma visão ao mesmo tempo!!!! Eu consigo!!!!!”. Ovacionada por um grupo de ex-alunos, a professora da USP também insinuou que a classe média brasileira, “por ser terrorista”, deveria ser investigada pelos atentados em Paris e em Nice.

Eufórica com a chance de vencer a finalíssima de dezembro e tornar-se HSV do Ano, Marilena pretende usar como cabo eleitoral uma visão ainda mais impressionante que anteriores. “A professora é muito discreta, mas acho que, pelas coisas que anda dizendo, vai ver alguma coisa que junta o juiz Ricardo Leite, a CIA, o Fernando Henrique Cardoso e o Moro”, revelou um ex-aluno que preferiu não revelar o nome nem o estado civil. A festa de premiação, iniciada no meio da tarde, foi encurtada por um crime de responsabilidade cometido por um integrante da Comissão Organizadora.

Sem consultar ninguém, esse elemento autorizou Marilena a substituir lâmpadas e luminárias instaladas no local do evento por caixas de som que amplificaram discursos gravados de Lula. “Ela queria provar que, quando ele fala, o mundo se ilumina”, disse o delinquente, sumariamente demitido pelo presidente da coluna. Assim que o sol se pôs, reinou a escuridão que apressou a retirada dos presentes. Segundo a HSV de Julho, a experiência mostrou que o mundo só se ilumina quando Lula solta a voz pessoalmente. “Discurso gravado não funciona”, explicou.

Com 3.724 votos (49% do total), Marilena estabeleceu uma notável vantagem sobre o o segundo colocado Eduardo Paes (1.837 votos, ou 24%). Com o sorriso que exibe desde que foi promovido por Dilma a “maior prefeito da galáxia”, Eduardo Paes avisou que já está em campanha pelo título de agosto. “Pode colocar meu nome aí porque não vai faltar chance até o fim da Olimpíada”, animou-se. “Para começar, vou preparar mais uma pegadinha para a delegação australiana”.

O pódio foi completado por Eduardo Suplicy (1.126 votos, ou 15%), que chegou à festa carregado por militantes petistas fantasiados de policiais militares. Suplicy pegou o microfone e, cantando músicas de Bob Dylan, deitou-se no chão e, acenando para a plateia, falou durante 15 minutos sobre as maravilhas do programa Renda Mínima. Seguiram-se à trinca de medalhistas Cidinha Campos (561 votos ou 7%) e Sérgio Cabral (230 votos ou 3%). A lanterninha ficou com João Santana (148 votos ou 2%).

Foi mais uma demonstração de patriotismo, discernimento e espírito cívico dos leitores-eleitores! E já começou a briga de foice pelo título de Homem sem Visão de Agosto! Lance seu candidato! E que vença o pior!

Continua após a publicidade
Publicidade