Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais dois verbetes

“O governo Dilma tinha uma base fidelíssima até o final do ano. Tem que ajustar a conversa”. Lincoln Portela, deputado federal pelo PR de Minas Gerais, ensinando que, na novilíngua lulista, “base fidelíssima” significa base alugada e “ajustar a conversa” quer dizer pagar os atrasados e reajustar a tabela de preços.

“O governo Dilma tinha uma base fidelíssima até o final do ano. Tem que ajustar a conversa”.

Lincoln Portela, deputado federal pelo PR de Minas Gerais, ensinando que, na novilíngua lulista, “base fidelíssima” significa base alugada e “ajustar a conversa” quer dizer pagar os atrasados e reajustar a tabela de preços.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Si

    Aju$tar a conver$a.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Petista arrependido

    Augusto,
    Ajustar a conversa significa incluir novamente o PR na corja aliada,que tinha ameaçado sair da base,mas não saiu por falta de vergonha na cara.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Santeófilo

    Rapaz, você leu o ultimo e ótimo Post do Augusto? Como é que é??? Você está me dizendo que nós já falamos sobre ele, é isso? Ô rapaz, se ligue!! Esse já é outro, outro!!! O quê? Agora você quer que eu explique como o homem consegue escrever tão bem e de forma tão abundante, é isso? Ô rapaz, e eu sei lá. Ele deve ter nascido dentro de uma biblioteca e, claro, com o dom de escrevinhador. O quê, rapaz? Quer dizer que você está percebendo nas entrelinhas uma forte carga de inveja da minha pessoa, é isso mesmo que estou entendendo? Sabe de uma coisa, rapaz? Você está é louco, louco!! Onde já se viu? Eu, o grande Santeófilo, com olho comprido no trabalho de outrem. Tudo bem, eu até concordo que nesse caso o “alguém” em questão é uma sumidade, é quase um mito no jornalismo brasileiro. Mas daí eu sentir essa coisa abjeta que você acabou de dizer vai uma distancia muito grande, muito grande. Pronto, falei!!! Está satisfeito?? Bom, gora pelo amor de Deus voltemos ao assunto lá do inicio, ok? Ô rapaz, pare com isso, pare com isso!!! Eu não já lhe pedi uma trégua? Quer saber? Ou você desfaz esse rizinho de deboche no canto da boca ou eu não escrevo mais porcaria nenhuma. Vamos, a escolha é sua! Ah, agora sim. Agora vai dá pra gente continuar. Bom, como eu tentava dizer, lá em cima, o ultimo Post do Augusto arrasou com a pasmaceira e a incompetência dos políticos cabra safados de Brasília. Raivosamente ele não deixou pedra sobre pedra. Alias, em dado momento a impressão que eu tive foi a de que o grande jornalista estava possuído por uma ira divina, tal o ímpeto com que esmiuçou os meandros da corrupção hora enraizada no governo e no legislativo. E rapaz, o desfecho foi sensacional, sensacional. O desfecho foi pra Aldo Rebelo nenhum botar defeito. Por favor, leia atentamente essa perola: “O falatório desta semana informa que passou o efeito do merecidíssimo chute no traseiro. Está na hora do segundo. Um bom pontapé nos fundilhos pode tornar Aldo Rebelo tão pontual quanto um lorde inglês.” E então, rapaz? Depois de tantos elogios, após tanta rasgação de seda, será que você ainda tem coragem de dizer que eu sinto inveja do homem? Como é que é??? Rapaz, eu não sei onde estou com a cabeça que não…

    Curtir

  4. Comentado por:

    MarceloF

    Esse glossário não vai ficar pronto nunca. O manancial é inesgotável!!!
    Sds.,
    de MarceloF.

    Curtir