Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Liberou geral

“Ou é procurador da República ou é descamisado. Tem que separar as coisas”. Brasilino Santos, subprocurador-geral da República, ao elogiar o primeiro decreto do procurador-geral Rodrigo Janot, que, um dia depois de tomar posse, garantiu aos colegas de carreira o direito de viajar ao exterior em classe executiva, tudo bancado pelos pagadores de impostos.

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 05h20 - Publicado em 24 set 2013, 20h45

“Ou é procurador da República ou é descamisado. Tem que separar as coisas”.

Brasilino Santos, subprocurador-geral da República, ao elogiar o primeiro decreto do procurador-geral Rodrigo Janot, que, um dia depois de tomar posse, garantiu aos colegas de carreira o direito de viajar ao exterior em classe executiva, tudo bancado pelos pagadores de impostos.

Publicidade