Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Herói de botequim

Lula agora acha que foi ele quem libertou o Brasil do século 18

“Quero que tenham a mesma dignidade e peçam desculpas por desonrar um homem que teve a ousadia de tirar o povo do século 18″. (Lula, numa discurseira no Ceará, revelando que até janeiro de 2003, quando assumiu a Presidência e começou a encenar a chanchada da honradez desbaratada pela Lava Jato, os brasileiros ainda achavam que viviam numa colônia de Portugal e eram súditos de Dona Maria I, a Louca)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Delane Lima

    Todas essas sandices ditas pelo cachaceiro, nada mais são do que tática da defesa para torná-lo inimputável com a proximidade cada vez mais real do xilindró.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Antônio

    Eu só vou ficar satisfeito na minha desonra, na hora que este medíocre estiver na jaula junto com o resto da corja…

    Curtir

  3. Comentado por:

    affonso

    A continuar assim, Lula ainda vai tirar o povo do século 21.

    Curtir

  4. Comentado por:

    ARTHUR DA SILVA COSTA

    Desta vez o corrupto pirou de vez.Deve ser imediatamente internado.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Cesar

    Jogou no século XVII.
    ANTES de Cristo!

    Curtir

  6. Comentado por:

    luizs

    Dizem que Cabral descobriu o Brasil. Para mim foi lula.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Tania ‹›

    Meu deus, se a fúria fugir do controle, esse Luiz XV de bordel e ditador de botequim vai tentar fazer com aqueles rapazinhos concursados o que elle tentou fazer com o jornalista norte-americano, que não precisou de nada além do senso do dever a cumprir para, apesar do sotaque, usar a voz da consciência, e sutilmente deixar carimbado no prontuário do Mais Viollento que este país era (des)governado por pinguço inveterado. E gosto não se discute, e nada eu contra líquidos, a pinguinha, a caipirinha, saboreia-se o que cai melhor a depender de temperatura, companhia e ocasião. Mas não há quem considere ser inofensivo os ‘habitués’ dos alambiques (nos) expor, virando assassinos, por conduzirem alcoolizados. E o que dizer de um que se arvorou a Liderança Máxima de um país imenso já fatiado, loteado em dezenas e dezenas de ministérios? Ocorreu de o sujeito ser bebedor mal disfarçado, dito de carteirinha, e no caso com aquela vocação para dissimulação que beira à personagem dos filmes de quinta de terror.
    Ou não foi assim que se consumou aos poucos a tragicomédia tupiniquim? E o charlatão deixou cair a máscara ao pedir a cabeça do jornalista americano que estava tão equivocado quanto a analista do Santander que pressentiu as armações da organização -— e não se omitiu sobre a proximidade da bomba a ser jogada no colo de quem paga as contas “todas”. Mas quem essa meninada correta pensa que é, gente que nem tenta debochar das instituições da república, rir dos agentes da lei, copiando textos de enciclopédia virtual, tal fez um herdeiro do exemplar chefe do clã? Mas se o lambe-botas de Fidel e Raúl ganhar mais tempo por aqui para nos fazer sustentar o trio, a próxima providência será abrir franquia do paredão. Mas século 18 naquela Ilha do Caribe é charme. Um tantinho cínico o jararacão 171. Fique com as honrarias, as plaquinhas, já disse um senador: mas devolva os pixulecos.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Valerio Seccadio

    Psicopata e idiota, cuja eleição e idolatria nos mostram quão fraca é a capacidade de percepção de nossa população em geral.
    Temos, neste momento, a oportunidade- sempre relegada, em nossa história republicana- de, num brado, para nós mesmos e para o coletivo- “é a educação, estúpidos”- iniciar nosso processo, tão adiado, de nos erguermos do berço esplêndido que, confortável- mas aprisionador-, nos impede de adentrar o mundo moderno e civilizado que, boquiabertos, vivemos a admirar e desejar.

    Curtir