Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Fala, Bumlai!

“Seria mais coerente impor a constrição aos corréus, os afagados e protegidos donos do Banco Schahin, aos caciques do PT ou ainda aos que compunham a diretoria internacional da Petrobras, pois, se existe alguém que teve ganho patrimonial com a pouca-vergonha da contratação fraudulenta do tal navio-sonda, certamente não foi o peticionário”. Arnaldo Malheiros Filho, advogado […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 30 jul 2020, 23h34 - Publicado em 9 fev 2016, 06h35

“Seria mais coerente impor a constrição aos corréus, os afagados e protegidos donos do Banco Schahin, aos caciques do PT ou ainda aos que compunham a diretoria internacional da Petrobras, pois, se existe alguém que teve ganho patrimonial com a pouca-vergonha da contratação fraudulenta do tal navio-sonda, certamente não foi o peticionário”.

Arnaldo Malheiros Filho, advogado de José Carlos Bumlai, nas justificativas do pedido de desbloqueio de bens de seu cliente, reforçando a suspeita de que o pecuarista que entrava no Planalto sem pedir licença quando Lula era presidente está pronto para explicar por que acha uma “pouca vergonha” a história do navio-sonda encomendado pela Petrobras.

Publicidade