Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Efeito colateral

“O erário público nunca foi prejudicado. As aplicações e os recursos sempre foram em favor de programas que atendem mandamentos da condição. Nem os bancos foram prejudicados. Aliás, os bancos lucraram e foram beneficiados com esses programas”. Luís Inácio Adams, advogado-geral da União, nesta segunda-feira, explicando que pedalada fiscal é uma tremendo remédio financeiro cujo único efeito […]

Por Augusto Nunes - Atualizado em 30 jul 2020, 23h55 - Publicado em 7 dez 2015, 23h03

“O erário público nunca foi prejudicado. As aplicações e os recursos sempre foram em favor de programas que atendem mandamentos da condição. Nem os bancos foram prejudicados. Aliás, os bancos lucraram e foram beneficiados com esses programas”.

Luís Inácio Adams, advogado-geral da União, nesta segunda-feira, explicando que pedalada fiscal é uma tremendo remédio financeiro cujo único efeito colateral é o impeachment.

Publicidade