Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Começou a votação na enquete: Mercadante, Palocci, Eduardo Paes, Mantega, Marcelo Heitor, Paulo Bernardo, Renan e Lewandowski brigam pelo troféu do mês

Confira a ficha resumida dos candidatos e os trunfos eleitorais de cada um

Por Branca Nunes Atualizado em 30 jul 2020, 21h43 - Publicado em 28 set 2016, 16h08

HSV 4

Começou a votação na enquete que elegerá o Homem sem Visão de Setembro. Oito feras lutam pelo troféu mensal. Confira a ficha resumida e as bandeiras de campanha de cada candidato:

 

ALOIZIO MERCADANTE

Brasília - Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante entrevista coletiva sobre mudanças no Financiamento Estudantil - Fies  (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Homenageado com o título de Herói da Rendição por ter revogado o irrevogável, o ministro de Tudo do governo Dilma Rousseff andava sumido desde que a patroa foi demitida por justa causa da Presidência da República. Reapareceu no aeroporto de Lisboa, há alguns dias, tentando furar a fila do embarque. Reconhecido por um grupo de brasileiros, foi posto em seu lugar debaixo de vaias e palavrões berrados em coro.

 

ANTONIO PALOCCI

palocci

Despejado do Ministério da Fazenda de Lula e da chefia da Casa Civil de Dilma Rousseff, Antonio Palocci ressurgiu para deixar claro que é um reincidente incurável. A Operação Lava Jato descobriu que, com a alcunha de Italiano, Palocci esteve submerso para costurar em paz acertos fora da lei envolvendo o Planalto, o PT, empreiteiras em geral e a Odebrecht em particular. Acusado de movimentar ilegalmente mais de R$ 128 milhões, é o caçula da população carcerária de Curitiba.

 

EDUARDO PAES

alx_eduardo_apes_e_pedro_paulo_original

Decepcionado com a performance do pupilo Pedro Paulo na campanha para eleger-se prefeito do Rio, Eduardo Paes resolveu transformar a candidatura do campeão de boxe, categoria Homem contra Mulher, em cabo eleitoral do padrinho na disputa do HSV de Setembro. Sempre criativo, não viu nada de anormal na descoberta de que 50 servidores da prefeitura doaram R$ 5 mil por cabeça para o caixa da campanha do PMDB. Paes só enxergou um bonito gesto de desprendimento.

 

GUIDO MANTEGA

mantega-oculus-811x410

Continua após a publicidade

Responsável pela desastrosa política econômica de Dilma Rousseff, Guido Mantega compreendeu que só conseguiria superar as feras que concorrem ao título de HSV do mês jogando pesado. Incluiu-se entre os favoritos ao mostrar que foi o primeiro ministro da Fazenda especializado em extorquir de empresários dependentes do governo boladas multimilionárias para financiar ilegalidades e zerar dívidas do partido que virou bando.

 

MARCELO HEITOR

wmX-640x640x4-56ef7ad9e4b0cb818a4bdd18503def5b494189a9df9a1

Sobrinho de Zeca do PT, ex-governador de Mato Grosso do Sul, Marcelo Heitor transformou-se num impressionante sucesso de público e num portentoso fracasso de crítica com o vídeo em que ensinou ao país, em 2015, o que pensava das manifestações contra o governo Dilma. Em busca dos 100% de rejeição, virou candidato a vereador de Campo Grande pelo PCdoB. Ele enxerga no troféu de setembro a compensação pelo fiasco a que está condenado nas urnas de 2 de outubro.

 

PAULO BERNARDO

gleisi-paulo-bernardo-ANDRE-DUSEK

Ex-ministro de Lula e Dilma Rousseff, Paulo Bernardo sonha com o título desde que Gleisi Hoffmann conquistou o troféu de Maio. “Somos comparsas em tudo”, confidenciou a um conhecido que já combinara um acordo de delação premiada com a Comissão Organizadora do HSV. O especialista em tungar dinheiro de aposentados endividados fortaleceu a candidatura depois que o STF ─ por unanimidade ─ transformou o casal em mais uma dupla de réus acusados de embolsar ilegalmente mais de R$ 1 milhão.

 

RENAN CALHEIROS

Brasília(DF), 25/04/2016 - Eleição dos membros do Comissão Especial que analisará processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado Federal - Na foto senador Renan Calheiros - Foto: Daniel Ferreira/Metrópoles

Ainda em liberdade, o presidente do Senado recorreu a dois lances cinematográficos para vencer a briga de foice de setembro. No primeiro, consumado em parceria com o ministro Ricardo Lewandowski, atropelou a Constituição e manteve os direitos políticos de Dilma Rousseff que deveriam ser suspensos com o impeachment. No segundo, produzido aos 45 minutos do segundo tempo, tentou anistiar os colegas enfiados até o pescoço no pântano do caixa dois.

 

RICARDO LEWANDOWSKI

Brasil, Brasília, DF, 20/08/2015. O ministro Ricardo Lewandowski no plenário do Supremo Tribunal   Federal (STF), em Brasília (DF), durante a retomada do julgamento sobre a permissão para doações de campanha por parte de empresas. - Crédito:DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Código imagem:187798

Ainda na presidência do Supremo Tribunal Federal, o ministro tentou resistir ao impulso de assumir a defesa de Dilma Rousseff durante o julgamento do impeachment. Depois da votação que aprovou a demissão da chefa, sucumbiu à tentação. “Ela não poderá exercer nem a função de uma merendeira de um grupo escolar”, disse, enxergando em Dilma uma nulidade muito mais valiosa e respeitável que a Constituição.

São oito feras numa só jaula, leitores-eleitores! Não fiquem fora da única eleição que permite votar sem remorso em gente que ninguém merece! O campeão será anunciado na segunda-feira, dia 3. E que vença o pior!

Continua após a publicidade

Publicidade