Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Celso de Mello, João Paulo Cunha, Luís Roberto Barroso e Manoel Dias brigam na enquete pelo troféu de setembro

Começou a votação na enquete que apontará o ganhador do título de Homem sem Visão de Setembro. Inscritos voluntariamente ou por determinação dos leitores-eleitores, quatro campeões estão na briga por uma vaga na finalíssima de dezembro.

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 05h18 - Publicado em 27 set 2013, 17h28

Começou a votação na enquete que apontará o ganhador do título de Homem sem Visão de Setembro. Inscritos voluntariamente ou por determinação dos leitores-eleitores, quatro campeões estão na briga por uma vaga na finalíssima de dezembro.

celso-de-mello-1

Celso de Mello

Ministro do Supremo Tribunal Federal, entrou na disputa por enxergar nos embargos infringentes ─ que adiaram o desfecho do julgamento do mensalão e podem transformar culpados em inocentes ─ um instrumento jurídico muito mais valioso e relevante que o Estado de Direito.

João Paulo Cunha

Deputado federal e mensaleiro condenado a 9 anos e 4 meses de cadeia por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro, entrou na disputa como representante do Poder Legislativo e porta-voz dos infringentes. Ainda não enxergou dinheiro público no mensalão, sempre viu quadrilha sem quadrilheiros e, dependendo das decisões dos ministros, vê de longe se o julgamento é político ou técnico.

Continua após a publicidade

Luís Roberto Barroso

Ministro do STF, entrou na disputa como candidato dos dissidentes para concorrer com o decano da Suprema Corte. Também enxergou nos embargos infringentes um direito indispensável a qualquer condenado – desde que tenha mais de seis dígitos na conta bancária.

Manoel Dias

Ministro do Trabalho, não viu as maracutaias que aconteciam em casa, na sala do lado do gabinete, na sede do PDT, no quarto em que dorme com a patroa e nas ONGs que fazem negócios com a pasta que chefia.

Por não terem atingido o número mínimo de votos, ficaram fora da enquete Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Rosa Weber, Teori Zavascki e José Dirceu.

A batalha de setembro está fervendo, leitores-eleitores! É pior que briga de foice no escuro! Que vença o pior!

Continua após a publicidade
Publicidade