Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Celso Arnaldo: fantasia espacial do ministro Patriota relança o astronauta brasileiro

Celso Arnaldo Araújo O Brasil, potência espacial, gastou no mínimo 10 milhões de dólares para o coronel Marcos Pontes se tornar, em 2006, o “primeiro astronauta brasileiro”. Sua principal missão a bordo da Soyus TMA-7 ─ como ele próprio descreveria na volta, com entusiasmo colegial ─ foi fazer uma experiência com brotinhos de feijão (matéria […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 12h34 - Publicado em 16 mar 2011, 20h30

Celso Arnaldo Araújo

O Brasil, potência espacial, gastou no mínimo 10 milhões de dólares para o coronel Marcos Pontes se tornar, em 2006, o “primeiro astronauta brasileiro”. Sua principal missão a bordo da Soyus TMA-7 ─ como ele próprio descreveria na volta, com entusiasmo colegial ─ foi fazer uma experiência com brotinhos de feijão (matéria Ciências 1 do sexto ano do primeiro grau) e levar ao espaço um lenço para ademanes que pertenceu a Santos Dumont.

Semanas depois de seu retorno à terra firme, pediu baixa da FAB e, nesses cinco anos, o “astronauta brasileiro” oferece-se em várias frentes siderais. Por só ter existido um, trata-se de produto exclusivo ─ sempre vestidinho de astronauta de festa infantil temática, desdobrando-se em palestrante motivacional (deixe-me adivinhar: a ida ao espaço como metáfora para “você também pode chegar no topo do mundo”?), escritor e garoto-propaganda do… travesseiro com tecnologia NASA, “aprovado e recomendado pelo astronauta brasileiro”.

Quando o ministro Patriota mencionou nossa “cooperação especial na área espacial” referia-se por certo a esse travesseiro fabricado pela “Marcbrayn” ─ cuja propaganda (http://www.marcbrayn.com.br) tem a vistosa foto do “astronauta brasileiro”, com os dizeres “o único viscoelástico original do Astronauta Marcos Pontes”, seja lá o que isso signifique no idioma dos trekkies.

A tecnologia é mesmo da NASA, a agência espacial americana? Não, NASA, nesse caso, significa Nobre e Autêntico Suporte Anatômico.

Alguém teria a coragem de encostar a cabeça nesse travesseiro e garantir que o astronauta Marcos Ponte é nobre e autêntico?

Continua após a publicidade
Publicidade