Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brancos héteros tropeçam numa prova do Enem

Neste ano, a prova de Língua Portuguesa resolveu favorecer gente preparada para militar em algum movimento social

Até recentemente, a prova de Língua Portuguesa do Enem era concebida para medir o desempenho dos inscritos na redação e interpretação de textos. Neste ano, a coisa mudou. Quem se preparou para fazer bonito em português descobriu que o Enem agora considera prioritário selecionar gente qualificada para ingressar num curso de militância no movimento LGBTetc, no movimento negro, no movimento feminista ou no movimento indígena.

Nada contra quaisquer preferências, escolhas ou vocações. Mas não custa registrar que, pelo andar da carruagem, brancos heterossexuais (sobretudo se tiverem olhos azuis) devem preparar-se para combater a discriminação. Daqui a pouco, eles só conseguirão uma vaga na universidade se a tribo a que pertencem for premiada pela política de cotas.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s