Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Botequim do Gabrielli

“Quando você olha uma empresa complexa como a Petrobras e compara com um butiquim ou com um pequeno armazém da esquina que o dono fica sentado no armazém o tempo todo, você verifica que nos armazéns, nesses butiquins (sic), você tem uma perda irreconhecível, ou seja, que você não sabe a origem em torno de […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 00h16 - Publicado em 21 out 2015, 18h25

“Quando você olha uma empresa complexa como a Petrobras e compara com um butiquim ou com um pequeno armazém da esquina que o dono fica sentado no armazém o tempo todo, você verifica que nos armazéns, nesses butiquins (sic), você tem uma perda irreconhecível, ou seja, que você não sabe a origem em torno de três por cento do faturamento”.

José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, nesta terça-feira, na entrevista ao programa Contraponto, financiado pelo Sindicato dos Bancários, confirmando que, para o governo lulopetista, a única diferença entre a Petrobras e o botequim da esquina é que na maior estatal do Brasil a roubalheira é muito mais lucrativa.

Publicidade