Clique e assine com até 92% de desconto
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

As mães bandidas de filhos quadrilheiros clamam pela atenção da imprensa

Os leitores gostarão de saber como Marluce Vieira Lima criou Geddel e Lúcio, ou se Erenice Guerra conferia o boletim escolar dos meninos

Por Augusto Nunes 28 set 2018, 17h27

Já que o comportamento político-eleitoral das mulheres brasileiras é o tema da vez na mídia nativa, que tal resgatar uma pauta que dorme nas redações há muitos meses? Os responsáveis pela investigação jornalística teriam de reconstituir a vida de mulheres que chefiam quadrilhas formadas por filhos bandidos.

Os leitores gostarão de saber, por exemplo, como Marluce Vieira Lima criou Geddel e Lúcio. Ou se Erenice Guerra conferia o boletim escolar dos meninos que preparou para o ofício de gatuno enquanto comandava a Casa Civil do governo Lula. Ao trabalho, jornalistas!

Publicidade