Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Antônio Patriota, Alexandre Padilha, Cid Gomes, Eduardo Paes, Ivo Cassol, Reditário Cassol e Ricardo Lewandowski brigam na enquete pelo troféu de agosto

Graças à espetacular saída de cena de Antônio Patriota na operação que retirou o senador Rogério Pinto Molina da embaixada brasileira em La Paz, o agora ex-ministro das Relações Anteriores mereceu a entrada, aos 45 minutos do segundo tempo, na briga pelo HSV de Agosto. “O chefe tem certeza que desta vez leva o troféu”, […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 05h31 - Publicado em 27 ago 2013, 19h17

Graças à espetacular saída de cena de Antônio Patriota na operação que retirou o senador Rogério Pinto Molina da embaixada brasileira em La Paz, o agora ex-ministro das Relações Anteriores mereceu a entrada, aos 45 minutos do segundo tempo, na briga pelo HSV de Agosto. “O chefe tem certeza que desta vez leva o troféu”, contou um dos 987 servidores comissionados do Itamaraty. “Precisa ser muito sem visão para ficar 455 dias em cima do muro reverenciando o companheiro Evo Morales e, no fim, não enxergar a articulação do Eduardo Saboia. Esse é campeão”.

Antônio Patriota brigará pelo troféu na enquete com uma turma da pesada:

Alexandre Padilha

Ministro da Saúde, entrou na disputa depois de não ver nenhum problema na ideia de entregar aos irmãos Castro os salários dos jalecos cubanos importados pelo Planalto.

Cid Gomes

Governador do Ceará e irmão de Ciro Gomes, não enxerga nenhum problema em bancar, com dinheiro público, um banquete regado a caviar, camarão, trufa, escargots e presunto de Parma, fora o resto.

Eduardo Paes

Prefeito do Rio de Janeiro, continua jurando que os manifestantes que protestam no Rio desde junho só estão bravos com o governador – e HSV de Julho – Sérgio Cabral.

Continua após a publicidade

Ivo Cassol

Condenado a 4 anos, 8 meses e 26 dias de cadeia pelo Supremo Tribunal Federal por fraude em licitações, o ainda senador não vê nada de mais em passar a noite na cadeia e as tardes no Congresso.

Reditário Cassol

Primeiro suplente, pai e cabo eleitoral de Ivo Cassol, ainda não conseguiu explicar se a proposta de mudança do Código Penal, que instituiu a aplicação de chicotadas em presos que não trabalham será estendida a parlamentares presidiários, como seu filho.

Ricardo Lewandowski

Ministro do STF, ainda não enxergou a quadrilha do mensalão, mas conseguiu ver um réu injustamente condenado por ele mesmo.

Por não terem atingido o número mínimo de votos, ficaram fora da enquete Renan Calheiros, José Eduardo Cardoso, Carmen Lúcia e Vicente Cândido.

A batalha de agosto está fervendo, leitores-eleitores! É pior que briga de foice no escuro! Que vença o pior!

Continua após a publicidade

Publicidade