Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A plateia de prefeitos resolveu ensinar a Dilma que a primeira vaia ninguém esquece

Habituada aos aplausos das plateias amestradas e aos sorrisos aprovadores dos áulicos, a presidente Dilma Rousseff foi surpreendida nesta terça-feira por sons especialmente agressivos a tímpanos condicionados pelo coro dos contentes. Ao ouvir os primeiros gritos vindos do auditório lotado por participantes da XV Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, a oradora interrompeu a […]

Habituada aos aplausos das plateias amestradas e aos sorrisos aprovadores dos áulicos, a presidente Dilma Rousseff foi surpreendida nesta terça-feira por sons especialmente agressivos a tímpanos condicionados pelo coro dos contentes. Ao ouvir os primeiros gritos vindos do auditório lotado por participantes da XV Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, a oradora interrompeu a discurseira com expressão confusa. Demorou cinco segundos para captar a cobrança formulada aos berros: centenas de prefeitos exigiam que revelasse, sem rodeios nem evasivas, qual é a posição do governo sobre a distribuição dos royalties do petróleo.

Até então, o inchaço das pálpebras, o olhar sonolento e a voz entediada identificavam uma presidente que não havia dormido direito. A algaravia desafiadora substituiu a mulher cansada pela chefe intolerante, autoritária desde criancinha, incapaz de ser contrariada sem retaliar com a repreensão humilhante, o pito grosseiro, o cala-boca que não admite tréplicas. O vídeo registra a reação rosnada em dilmês vulgar.

“Petróleo…  petróleo… Ocês não vão gostá do que vô dizê… Tá?”, começou Dilma, contendo na garganta o som da fúria. “Petróleo… ocês não vão gostá. Então eu vô dizê uma coisa pra vocês. Num tem… não acreditem que vocês conseguirão res… resolvê a distribuição de hoje pra trás. Então, lutem pela distribuição de hoje pra frente”. O ponto final na frase sem pé nem cabeça encerrou também o discurso.

Com a suavidade de um estivador em fim de expediente, o alvo dos apupos capturou o papelório preenchido com letras grandes para que o neurônio solitário não tropeçasse tanto na leitura e se ergueu da cadeira transpirando cólera. Acelerou o andar que aprendeu com algum cowboy americano, fez uma escala diante do presidente da associação dos municípios, interpelou de dedo em riste o organizador do fiasco e saiu de cena cavalgando o chilique.

Como previra, os prefeitos não gostaram mesmo do que ouviram. E revidaram com uma vaia que, além de mais algumas noites insones, garantiu uma vaga perpétua na memória na presidente. Ela logo saberá o que Lula sabe desde aquela tarde no Maracanã: a primeira vaia ninguém esquece.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Gaúcho

    Uma parte dos dividendos do petróleo deve ser dividido por todo Brasil e não só ficar com o rio de Janeiro ou outro estado que são beneficiados por um mar que é nacional! Essa é minha opinião.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Cil

    E pra onde ele for, vai ser vaiada. Aliás, havia uma vaia ensaiada com direito a camisas pretas e nariz de palhaço na UNIFESP, onde os professores e alunos se encontram em greve, mas a “assessoria” da comitiva della tentou fazer com que os manifestantes desistissem do protesto porque ia “sair mal na foto”. Eheheheeheheheheh
    Brasil il il il!!!

    Curtir

  3. Comentado por:

    maria

    O mercado irá responder ao assédio de Lula e a canalhice de Jobim .
    A lógica e as paixões. Em um trem na França, um Adão mulçumano ofereceu uma maçã para Eva e perguntou se não queria ir para Londres. Vendia cintos. A Eva aceitou a maçã porque estava com fome ,mas não foi para Londres com Adão. Smtih , David Ricardo e Marx admirava a economia capitalista , e nessa Londres liberal, o pensamento econômico entendia o mercado com o equilíbrio das paixões da oferta e da procura.
    Sucesso . A palavra assédio irá permanecer nos meios de comunicação quer seja por 15 minutos ou alguns dias. Loud e terrivelmente dangereuse para a segurança institucional do Judiciário, mas serena é a noite. O assédio de Lula já ficou na cultura de massa.
    Inadimplência logo a bolha já existe , terrível como um filme B, e se expande em num cenário inflacionário. Não é bom para os negócios e o bicho apareceu. Jogo por meios eletrônicos, por enquanto ainda é Caixa Econômica. Todos os grandes bicheiros estão preocupados com os modos tradicionais das cadeirinhas nas ruas e com as máquinas de bingo nos apartamentos confinados com meninas. Desvios que restringem em muito o lucro dos bicheiros, porque não dispõem de débitos on line e Cachoeira é um dos entusiastas na transformação no modo de arrecadação do jogo.
    Os aeroportos e portos na rota das movimentações de uma economia paralela. Evasões fiscais associados a lavagem de dinheiro tornam a economia confinada ou melhor não geram o mercado. Intocáveis siguiram o monkey business.Mensalão ou Chicago anos 30 e Rooselvet impediu que a América se tornasse o Terceiro Mundo, mas notre dame é uma barbie.
    O risco Brasil. A empresa de petróleo da Colômbia bateu na giga Petrossauro. Mais debêntures e Pimental usa o BNDES com aparelho auditivo de Lula – no uso do dinheiro público -para manter os preços das ações no mercado. A DRU consolidou o erotismo de segredos no liquidificador. No entanto como atrair o investidor para obras de infraestrutura num cenário de máfias locais , corrupção e sem segurança Jurídica. O Globo na medida em que pode, ressalta que o Brasil é um gigante, mas manco.
    Volto a repetir: o sucesso da Veja. O julgamento do mensalão já existe.Tic Tac…

    Curtir

  4. Comentado por:

    luiz

    Perfeito esse comentário. Foi muito feliz o enquadramento da “presidenta”! Essa distinta senhora mal consegue disfarçar a falta de traquejo no trato com as pessoas. Autoritária e despreparada para o alto cargo que exerce, mais parece uma colegial discursando num centro acadêmico. O general Ernesto Geisel, ex-presidente, certamente teria a doçura de um bebê, ao lado da “cowboy” brasileira.

    Curtir

  5. Comentado por:

    josé mário francisco dos santos

    Presidente Dilma cuidado, a arrogância precede a ruina, seja humilde e lembre-se que para ser presidente tem que ser eleita por voto, isto não vem de coçê, vem do povo, e este povo estar te olhando e as tuas palavras ao sair de tua boca tem efeito, tanto positivo comop negativo, isto é um alerta Presidente Dilma

    Curtir

  6. Comentado por:

    josé mário francisco dos santos

    Presidente Dilma cuidado, a arrogância precede a ruina, seja humilde e lembre-se que para ser presidente tem que ser eleita por voto, isto não vem de voçê, vem do povo, e este povo estar te olhando, e as tuas palavras ao sair de tua boca tem efeito, tanto positivo como negativo, isto é um alerta Presidente Dilma.

    Curtir