Clique e assine a partir de 8,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A copeira aproveitou o pedido de demissão da ministra para vingar-se da patroa

Na primeira das duas fotos publicadas pela coluna em 13 de setembro de 2010, Marta Teresa Smith de Vasconcelos Suplicy contempla Dilma Rousseff com o olhar enviesado de granfina quatrocentona que virou copeira de candidata à Presidência. Na segunda, Dilma Vana Rousseff devolve o copo d’água que Marta lhe entregara com o olhar superior de […]

Por Branca Nunes - Atualizado em 31 jul 2020, 02h39 - Publicado em 13 nov 2014, 18h48
dilma-marta1-339x460

(Foto: Ayrton Vignola/AE)

Na primeira das duas fotos publicadas pela coluna em 13 de setembro de 2010, Marta Teresa Smith de Vasconcelos Suplicy contempla Dilma Rousseff com o olhar enviesado de granfina quatrocentona que virou copeira de candidata à Presidência.

Na segunda, Dilma Vana Rousseff devolve o copo d’água que Marta lhe entregara com o olhar superior de quem virou patroa de granfina quatrocentona.

Os colunistas políticos têm procurado na cabeça da política Marta Suplicy as justificativas para o tom insolente e o conteúdo agressivo da carta em que se demitiu do Ministério da Cultura. As duas imagens avisam que o texto talvez tenha sido sugerido pela alma e ditado pelo coração da aristocrata Marta Teresa Smith de Vasconcelos Suplicy.

Quem foi criada para ser servida por plebeus jamais esquecerá o dia em que serviu de criada para uma plebeia.

Continua após a publicidade
Publicidade