Clique e assine a partir de 9,90/mês
Alberto Carlos Almeida Por Alberto Carlos Almeida Opinião política baseada em fatos

Habemus basis

É o filho pródigo de volta à casa, não seria de todo errado o Centrão pronunciar para Bolsonaro as sábias palavras do Evangelho de Lucas em seu capítulo 15

Por Alberto Carlos Almeida - Atualizado em 3 Jun 2020, 10h25 - Publicado em 26 May 2020, 16h35

Rodrigo Maia fez hoje um discurso no plenário da Câmara dos Deputados apelando para a pacificação do país. Na verdade, como um político normal, ele sabe que é ruim para todos o atual clima de beligerância cuja responsabilidade cai inteiramente nos ombros de Bolsonaro. O Presidente da Câmara não pode em pronunciamentos assim mencionar apenas o responsável direto pelo estado de crise permanente. O fato mais interessante ocorreu em seguida.

Os líderes de todos os partidos de esquerda – PT, PDT, PSB, PCdoB e PSOL – discursaram apoiando Rodrigo Maia. Discursaram também elogiando Maia os líderes do PSDB, DEM, MDB, PSL, PV, Novo, Cidadania Solidariedade.

Não discursaram os líderes de PP, PL, Republicanos, PSD, Avante, Patriota, PSC, PROS e PTB. Em nome do bloco falou o deputado Arthur Lira, que hoje é mais líder do Governo do que o Major Victor Hugo que também não discursou.

Este episódio sela o apoio do Centrão ao Governo Bolsonaro, e não por acaso ocorreu após a reunião de ontem à noite na qual os líderes destes partidos acordaram ação conjunta no plenário. Um ano e meio depois de assumir o governo, finalmente Bolsonaro tem uma base parlamentar, e ela é o Centrão ao qual ele sempre pertenceu.

Continua após a publicidade

É o filho pródigo de volta à casa, não seria de todo errado o Centrão pronunciar para Bolsonaro as sábias palavras do Evangelho de Lucas em seu capítulo 15: Era justo alegrarmo-nos e regozijarmo-nos, porque este teu irmão estava morto e reviveu; tinha-se perdido e foi achado.

Publicidade