Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Alberto Carlos Almeida Por Coluna Opinião política baseada em fatos

Eleição municipal de 2016: o PT perdeu a periferia de SP

Haddad e Marta seriam duas fortes candidaturas do PT para a prefeitura de São Paulo em 2020. Haddad já é do partido, Marta teria que voltar ao ninho

Por Alberto Carlos Almeida - 21 nov 2019, 19h21

O Congresso do PT se realiza neste final de semana em São Paulo. Nele será discutida a estratégia do partido para a eleição municipal de 2020. Uma das hipóteses é lançar os candidatos mais fortes nas cidades mais importantes, incluindo-se, obviamente, São Paulo. Pode ser que neste caso, as melhores opções sejam Haddad em primeiro lugar, seguido de Marta, desde que de volta ao PT. No mapa da esquerda, o perfil sócio econômico no Município de SP. Menos pobres no centro, mais pobres nas periferias. No mapa da direita qual dos três candidatos foi mais votado por distrito: Russomano e Marta nas regiões mais pobres e Haddad nas regiões mais ricas. O eleitorado tradicional do PT não ficou com o candidato do PT. Isso ocorreu na eleição para prefeito em 2016. Nesta análise a votação de Doria foi colocada de lado, pois o objetivo era ver a força relativa do PT face a Russomano e Marta.

 Alberto Carlos Almeida/TRE/.

Publicidade