Clique e assine a partir de 9,90/mês
Alberto Carlos Almeida Por Alberto Carlos Almeida Opinião política baseada em fatos

Aliança pelo Brasil: legalizá-lo não será problema

Bolsonaro tem a seu lado o advogado eleitoral que possibilitou a Kassab legalizar o PSD em menos de seis meses

Por Alberto Carlos Almeida - Atualizado em 13 nov 2019, 15h21 - Publicado em 13 nov 2019, 14h42

Falei hoje com a advogado eleitoral Admar Gonzaga – cabe a ele coordenar os aspectos jurídicos da legalização do novo partido de Jair Bolsonaro, Aliança pelo Brasil. Gonzaga foi responsável pela legalização em tempo recorde do PSD de Gilberto Kassab, em menos de seis meses, e ocupou uma das cadeiras de ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Para ele, não há nenhum empecilho jurídico ou operacional para que o partido esteja pronto para disputar a eleição municipal de 2020. E mesmo que isso não ocorra, Admar não acha um problema, pois Bolsonaro poderia apoiar candidatos de outros partidos desde que, se eleitos, migrassem para a Aliança pelo Brasil.

O competente advogado eleitoral acha também que a maioria dos deputados do PSL irá migrar para o novo partido do presidente. Ele considera possível que tais deputados arrastem consigo o tempo de TV e os recursos partidários.

A visão de Gonzaga acaba sendo um retrato da disposição e do otimismo de Bolsonaro nesta nova empreitada. Impossível dizer se dará certo. Quando se trata de prazos e decisões judiciais, a única coisa certa é que tudo é incerto. Creio que a tarefa do presidente seja mais difícil do que se possa imaginar. Além disso, Roberto Jefferson comanda o PTB até hoje, apesar de todos os escândalos e processos. Ele serve de exemplo para o que pode ocorrer com Luciano Bivar. Tudo indica que além de competência jurídica, Bolsonaro precisará de competência política. Isso ele parece não ter.

Publicidade