Clique e assine a partir de 9,90/mês
Alberto Carlos Almeida Por Alberto Carlos Almeida Opinião política baseada em fatos

A fantástica loja de chocolates de Flávio Bolsonaro

Pode ser que hoje tenha sido o início de um longo processo de investigação que irá desmoralizar o clã Bolsonaro

Por Alberto Carlos Almeida - 18 dez 2019, 17h05

O antigo COAF já tem todas as informações que comprovam a rachadinha. Assim, os mandados de busca e apreensão de hoje não tiveram como principal objetivo a obtenção de documentos, mas sim sinalizar para as 96 pessoas arroladas que a partir de agora elas estão sendo investigadas. Elas poderão ser indiciadas e incriminadas.

Em algum momento tanto estas 96 pessoas, e muitas outras, serão confrontadas com a “sua excelência, o fato”, os dados do ex-COAF, e terão de explicar os depósitos que fizeram em favor de Fabrício Queiroz. Uma coisa são milicianos coagindo 100 pessoas por causa de negócios da própria milícia. Outra é utilizar esse método para proteger políticos eleitos: isso tem publicidade, vai para mídia com grande força. Por isso, creio estar contratada a desmoralização do clã Bolsonaro. O primeiro sinal já veio hoje, Bolsonaro não deu a trdicional entrevista na saída do Palácio Alvorada. O constrangimento tende a aumentar.

Por fim, já se sabe que a loja de chocolates de Flávio Bolsonaro, quando era deputado estadual, permitiu que ele comprasse um apartamento caro. Ele terá de explicar tanto o faturamento quanto a margem de lucro de uma simples loja de chocolates.

Publicidade