Plantas domésticas geneticamente modificadas limpam o ar das casas

CIÊNCIA

Plantas são essenciais para a manutenção da vida na Terra. Além disso, elas também proporcionam bem estar e uma sensação de calmaria.

Pensando nisso, uma empresa desenvolveu uma planta geneticamente modificada que promete ajudar a combater a poluição do ar em ambientes fechados.

A espécie escolhida é uma das mais onipresentes nas casas: a Hera do Diabo, também conhecida como Jiboia Verde.

A empresa garante ter conseguido aprimorar o DNA desta linhagem, aumentando sua capacidade de extrair compostos orgânicos voláteis do ar, como o formaldeído e o benzeno, predominantes no ambiente doméstico.

Os ajustes genéticos também permitiriam que ela converta esses compostos em outras substâncias, como açúcar e CO2, “alimento” para a planta continuar crescendo.

O debate sobre a capacidade das plantas de purificar o ar ao seu redor não é novo.

Grande parte dessa ideia surgiu em 1989, quando um estudo da Nasa em parceria com a Associated Landscape Contractor of America buscou avaliar a capacidade das plantas domésticas de efetivamente removerem toxinas do ar.

Muitos pesquisadores desconfiam dos efeitos de limpeza atribuídos a certas plantas, e calculam que seriam necessárias mini florestas caseiras para que o ar fosse limpo pelas amadas parceiras verdejantes.

veja.abril.com.br/ciencia/

Confira essa e outras reportagens em