Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Praga, Tel Aviv e Bogotá: estudo mostra onde o transporte é sustentável

Relatório global inédito avalia o progresso das cidades em oferecer opções de transporte sem carro, com trens, ônibus e ciclovias

Por Ernesto Neves 8 jul 2024, 07h17

Novo estudo realizado pelo Instituto de Política de Transporte e Desenvolvimento, com sede em Nova York, trouxe revelações surpreendentes sobre a qualidade do sistema de transportes ao redor do globo.

Segundo levantamento, Praga, capital da República Checa, desbanca grandes centros como Londres e Paris e tem o transporte mais acessível e sustentável do mundo.

Isso porque 89% da população de Praga reside a 500 metros de uma linha de trem ou ônibus que funciona com intervalos de no máximo 10 minutos no horário de pico.

Em segundo lugar aparece Breslávia, terceira maior cidade da Polônia, onde esse percentual é de 86%.

Continua após a publicidade

O primeiro Atlas anual de Transporte Urbano Sustentável analisa nove métricas de mobilidade sustentável em mais de 1.000 áreas metropolitanas em todo o mundo.

Estas medidas incluem a percentagem de residentes que estão próximos dos meios de transporte, o que inclui, além de ônibus, veículos leves sobre trilhos (VLT) e o metrô, também as ciclovias e ruas para pedestres.

O estudo destaca ainda casos de sucesso fora da Europa.

Continua após a publicidade

Tel Aviv, centro financeiro de Israel, ficou em terceiro lugar, também com 86% da população bem servida de transporte de massa.

Em seguida, na quarta posição, aparece Bogotá, capital da Colômbia, com 85%.

Em 2000, a cidade colombiana iniciou a implantação do chamado Transmilênio, um sistema de corredores exclusivos de ônibus que hoje se estende por 115 quilômetros.

Continua após a publicidade

O Brasil aparece mal nos indicadores.

Segundo o levantamento, São Paulo, maior cidade do país, tem apenas 24% de sua população vivendo a até 500 metros de uma opção de transporte eficiente. Isso deixa a cidade em 78º lugar no ranking mundial.

No caso do Rio de Janeiro, a situação é ainda pior: somente 3% dos cariocas possuem esse acesso facilitado, deixando a segunda maior cidade brasileira em 125º posição no globo. 

Continua após a publicidade
Estação de metrô de Praga, na República Checa: segundo estudo, cidade tem o sistema de transportes mais acessível do planeta
Estação de metrô de Praga, na República Checa: segundo estudo, cidade tem o sistema de transportes mais acessível do planeta (Divulgação/Divulgação)

O estudo tem como foco principal o acesso ao transporte público, e não o tamanho da rede ou o modo de transporte, daí a razão para que metrópoles tradicionais tenham ficado de fora

Ele também fornece pistas importantes sobre o comportamento de cada região de acordo com o transporte disponível.

Continua após a publicidade

Para efeito de comparação, Dallas e Boston, nos Estados Unidos, possuem malha e população semelhantes.

Mas o atlas mostra que mais pessoas conseguem ter acesso a transporte frequente no caso de Boston, fazendo com que esta se saia melhor.

Sistema de bondes elétricos de Breslávia, terceira maior cidade da Polônia: exemplo de eficiência
Sistema de bondes elétricos de Breslávia, terceira maior cidade da Polônia: exemplo de eficiência (Divulgação/Divulgação)
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.