Publicidade
 
 


 
 



22 de agosto de 2007

PERFIL

CIDADE
DECORAÇÃO
FAMÍLIA
HUMOR
AS BOAS COMPRAS
BEIRA-MAR
A OPINIÃO DO LEITOR
CRÔNICA
VEJA RIO RECOMENDA
BARES

em destaque
CINEMAS

em destaque
COMIDINHAS
CONCERTOS
DANÇA
ESPECIAL

em destaque
EXPOSIÇÕES

em destaque
FILMES

em destaque
PARA AS CRIANÇAS

em destaque
PARA DANÇAR
RESTAURANTES

em destaque
SHOWS

em destaque
TEATRO

em destaque
   

PERFIL

Princesinha do mar

Era uma vez uma modelo que começou
a carreira aos 11 anos, fez sucesso
internacional e agora vai se casar com
seu príncipe encantado, o belo herdeiro
da 96ª empresa no ranking das maiores
do Brasil

Sofia Cerqueira

 
Daniella Sarahyba, futura senhora Wolff Klabin, na Praia do Leme: ritmo de trabalho mais lento depois do casamento

Esta é uma história com ingredientes de contos de fada. A menina criada na Lagoa sonha em ser modelo e virar top internacional. Consegue. No auge do sucesso, seu desejo passa a ser casar-se – de preferência, com um belo príncipe – e ter muitos filhos. No próximo dia 6 de setembro, a segunda parte do sonho de Daniella Sarahyba começa a se tornar realidade em um altar montado na Marina da Glória. Ao lado da beldade de 23 anos, 1,78 metro de altura, 92 centímetros de busto, 90 de quadris e 58 quilos distribuídos num corpo escultural, estará o empresário e jogador de pólo Wolff Klabin, 34 anos, herdeiro de uma das famílias mais tradicionais da cidade. Reconhecimento fora do país ela já conquistou. Há quatro anos morando em Nova York, contratada pela IMG Models, uma das maiores agências do planeta, posou para o catálogo da grife de lingerie Victoria's Secret, o que, no mundo das modelos, é tirar a sorte grande; virou garota-propaganda da rede de academias 24 Hour Fitness, posto que foi de Cindy Crawford; e por três anos consecutivos é uma das estrelas da edição especial da revista americana Sports Illustrated que apresenta lindas top models em trajes de banho – ela é a capa do calendário 2007. No Brasil, sucedeu a Gisele Bündchen como modelo exclusiva da marca C&A. Acostumada a holofotes e flashes, ela por certo estará deslumbrante em seu vestido de noiva Valentino quando trocar alianças (de ouro branco e bem grossas) com o herdeiro Klabin. "Penso neste dia desde criança", confessa.

O enlace para 800 convidados, um dos mais esperados do ano, não colocará um ponto final na saga dessa cinderela carioca. "Volto a morar no Rio, mas vou manter meu apartamento em Nova York e continuarei a trabalhar normalmente", conta. Antes de subir ao altar, levada em um trecho pelo irmão e em outro pelo avô materno – o pai, o advogado Orlando Fernandes Neto, morreu quando ela tinha 10 anos –, cumprirá uma agenda carregada. Daniella, que atualmente estrela nos Estados Unidos comerciais de TV da loja de departamentos Macy's, embarcou na segunda-feira passada para Manhattan. Terá reuniões na sua agência, fará testes e, o mais importante, a última prova do vestido de noiva. Na volta, traz na mala, além do vestido, o véu assinado pelo estilista Frank Sena, o mesmo que fez o adorno para as bodas de Britney Spears e Kevin Federline. "Quis tudo tradicional e, como sonho que seja a noite mais feliz da nossa vida, desejo que a festa dure até as 8 da manhã", diz ela.

Quando o assunto são os detalhes do evento, silencia. Sabe-se que a organização será dividida entre a cerimonialista carioca Thaïs de Carvalho Dias e a empresa paulista Wedding & Co., que fez o recente casamento de Sofia Alckmin, filha do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin. Um dos DJs escolhidos para animar o casório é Milton Chuquer – o mesmo do casamento de Athina Onassis e Doda Miranda. O bufê está a cargo do tradicional Demar e os docinhos, feitos por Isabela Suplicy, vêm de São Paulo. Para evitar bicões, os convidados trocarão os convites por cartões magnéticos que darão acesso aos salões. Só o aluguel do espaço na Marina da Glória custou 60.000 reais. Estima-se que o gasto total da festa fique entre 400.000 e 500.000 reais.

O "sim" acontece dois anos depois de o casal ter se conhecido, numa noite de Natal – mais um toque de conto de fadas –, na casa de amigos comuns. Será uma cerimônia civil com bênçãos católica e judaica. "Espalharam que eu tinha me convertido ao judaísmo, mas sou muito católica", diz ela. A conversão não seria uma novidade na família do noivo. Sua mãe, Rosa, e a tia, Bebel, aderiram à religião judaica ao entrar para o clã Klabin – dono da maior produtora e exportadora de papel do país. "Wolff sempre soube da minha religião e respeita", afirma Daniella, que carrega na bolsa um terço de madeira.

Não é a primeira vez que a modelo circula com uma aliança na mão direita. Com apenas 14 anos, ficou noiva do ator Márcio Garcia. O fim do romance virou uma novela que foi parar nas páginas dos jornais. Ele exigia que Daniella devolvesse um colar de brilhantes, avaliado em 10.000 dólares, que havia lhe dado de presente. Ela se recusou e doou a jóia à Casa dos Artistas, entidade que abriga velhos atores desempregados em Jacarepaguá. "Não tenho mais o que falar dessa história", desconversa. O ator tampouco quis comentar.

No mundo das fotos e passarelas, ela também começou cedo. "Na contramão do padrão fashion, a Dani sempre foi um mulherão", diz Sérgio Mattos, dono da agência 40 Graus Models. De fato. Por onde passa, a modelo deixa um rastro de homens de queixo caído. Mattos, um dos 28 padrinhos da cerimônia, orgulha-se de ter sido o primeiro a apostar no seu talento. Com 11 anos e 1,70 metro de altura, ela foi levada à agência pela mãe, a ex-modelo Mara Lúcia Sarahyba. "Tentei adiar, mas ela vivia pedindo", recorda Mara, que em 1973 ficou em segundo lugar no concurso Miss Brasília. Aos 12 anos, Daniella entrou no concurso Look of the Year, da agência Elite. Eram 42 000 garotas, e ela ficou entre as cinco primeiras. A carreira da menina, fotografada aos 3 dias de vida para a capa da antiga revista Pais & Filhos, deslanchou a partir daí. "Ela tem uma beleza absolutamente brasileira e que espelha o Rio de Janeiro", descreve o fotógrafo J.R. Duran. "É uma das mulheres mais bonitas do planeta", completa Duran, com conhecimento de causa: já clicou nomes como Cindy Crawford, Naomi Campbell e Gisele Bündchen, sem falar nas inúmeras capas que fez para a revista Playboy.

Ela nunca se encaixou no biótipo das tops esquálidas. "O povo da passarela já lhe torceu muito o nariz, mas ela é imbatível de biquíni", ressalta Sérgio Mattos. "É óbvio que deixei de fazer campanhas por não ser magrela, mas nunca faltou trabalho", diz Daniella. Há dois anos encasquetou que precisava emagrecer. Chegou a pesar 64 quilos. Perdeu 10. O período coincidiu com o desfile da grife Cia. Marítima, na São Paulo Fashion Week. Com o corpo definidíssimo, foi a sensação. No exterior, nessa época, renovou contrato com a GAP, posou para o estelar catálogo da Victoria's Secret e fez fotos para a Sports Illustrated. "Mas fiquei com o rosto muito magro", acredita. "Hoje estou no peso ideal." Daquele período, herdou a disciplina e aprendeu a comer verduras. O estilo mulherão a credenciou para fazer neste ano a campanha de lançamento da Cartilha da Saúde, uma espécie de manual preparado pelos organizadores da São Paulo Fashion Week para alertar sobre o risco dos distúrbios alimentares.

Para manter a forma, malha duas vezes por semana e faz drenagem linfática. Foi a massagista que descobriu, em maio, um nódulo em seu pescoço. Operou a tireóide e, há três semanas, voltou à sala de cirurgia com uma crise de apendicite. "Eu a levei para se benzer na Igreja dos Capuchinhos", conta a avó Adely. Daniella, filha de uma família de classe média, adora praia – até pouco tempo atrás não usava filtro solar –, já fez mais de 100 capas de revistas nacionais e quarenta campanhas internacionais. Aos 14 anos diziam que estava no auge. Aos 16, idem. E hoje? Também. Sua primeira temporada de trabalho fora do país foi em 1997, aos 13 anos: passou dois meses na Alemanha. Três anos antes seu pai havia morrido de leptospirose: a bactéria da doença se instalou através de uma ferida no pé. "Foi duro, mudou a vida da gente", lembra. Nos anos seguintes, viajou para Milão, Paris, Barcelona, Turquia... Ajudou a família, fez um pé-de-meia. Não revela valores, mas tem um apartamento de quatro quartos na Barra da Tijuca.

A precocidade chamou a atenção do desembargador Siro Darlan, à época juiz titular da 1ª Vara da Infância e da Juventude. Na festa de seus 17 anos, em uma churrascaria, teve de provar que bebia guaraná, e não champanhe, como sugeria uma foto. "Nunca larguei a escola", frisa ela, que completou o ensino médio e planeja cursar publicidade ou psicologia. O tempo todo escoltada pela mãe, só passou a morar sozinha aos 18 anos, quando foi para Nova York. Encheu a casa – um quarto-e-sala alugado – de ursinhos de pelúcia. "Ela é uma moleca, adora Hello Kitty", revela a amiga Giovanna Pacheco, que organizou o chá-de-panela, no sábado (11). O ponto alto da festa, que teve uma drag queen vestida como a gatinha, foi um go-go boy – na verdade, o próprio noivinho, como Daniella o chama, disfarçado com uma barba postiça. Normalmente discreto, Wolff, que estudou administração em Harvard, não dá entrevistas. "Ele tem os mesmos valores de família que eu, e um ciúme normal", descreve a noiva. A futura senhora Klabin vai morar num apartamento com vista para o mar de Ipanema e planeja ir uma vez por mês a Nova York. Sonha em ter uma vida com rotina, coisa que sua agitada carreira não permitiu até hoje. E a lua-de-mel? "É surpresa, ele só pediu para eu fazer uma mala com peças de verão." Um final no melhor estilo de um conto de fadas.

 

Entre flashes e beijos

 
Fotos Dilmar Cavalher/Strana, Álbum de família e André Nazareth/Strana
Em três momentos: com a mãe, a ex-modelo Mara, e o irmão, Flávio; nos braços do pai, Orlando, com 1 ano de idade; e, em 2003, como destaque da Imperatriz Leopoldinense

Reginaldo Teixeira
Com o noivo, o empresário Wolff Klabin: festa para 800 pessoas na Marina da Glória

Fotos J. M. Ricardo, Divulgação e Vera Donato
Os ex: o ator Márcio Garcia (à esq.), o estudante Carlos Felipe Carvalho e o espanhol Javier Hidalgo



Nas passarelas, nos estúdios e nos holofotes

 
Fotosite
Na sua fase mais magra: 54 quilos e sucesso na São Paulo Fashion Week

Bem Watt/Divulgação
Campanha para uma rede de academias: com o ciclista americano Lance Armstrong

Com 3 dias Aos 17 anos
Em 2006 Na Turquia
Em Veja Rio Há dois anos

Entre as mais belas: destaque na Sports Illustrated

Divulgalção
Em Paris: sucessora de Gisele Bündchen nas campanhas da C&A para o Brasil Catálogo de verão da Victoria's Secret, em 2004: o corpo perfeito a levou a fazer parte do seleto grupo de tops que posam para a grife

 

         
     

 

 
VEJA on-line | Veja Rio
copyright © Editora Abril S.A. . todos os direitos reservados