Ursos não gostam de mel, diz biólogo

Um biólogo americano acaba de desconstruir um dos principais estereótipos sobre ursos. Lynn Rogers, especializado em vida selvagem, passou 42 anos estudando os animais e concluiu que, ao contrário do senso comum, eles não gostam de mel e não são violentos. As constatações de Rogers serão apresentadas na quarta-feira em um documentário da rede britânica BBC.

De acordo com o biólogo, que conseguiu ganhar a confiança de uma família de ursos-negros do estado de Minnesota, a agressividade geralmente atribuída aos animais consiste em nada mais que nervosismo e uma postura defensiva. Além disso, Rogers viu que os ursos parecem não ligar muito para mel, grãos ou castanhas quando têm acesso a outro tipo de banquete: larvas de formigas.

No documentário, intitulado Bearwalker of the Northwoods, o biólogo de 70 anos se aproxima de uma caverna e é recebido por uma ursa dando golpes no chão. Mas, o que qualquer um interpretaria como agressividade, na opinião de Rogers é apenas estranhamento. “Ela não é uma ursa má. É apenas uma ursa nervosa, mas ela irá se acalmar”, garante.

Rogers disse ainda que, durante toda a sua vida, jamais foi atacado por um urso, embora admita ter sido vítima de “mau comportamento” por parte dos animais. “Se você olhar as estatísticas, um urso-negro em um milhão mata alguém. Com ursos-marrons, é um em 50.000. Entre humanos, é uma pessoa entre 18.000 que mata alguém”, afirma, segundo o jornal britânico The Daily Telegraph.