Uber demite 20 funcionários após investigação sobre assédio

Escritório investiga 215 queixas de assédio registradas desde 2012

O aplicativo de transporte compartilhado Uber informou seus funcionários que demitiu 20 pessoas após uma investigação interna sobre assédio e alegações relacionadas, segundo a agência Reuters. A investigação é conduzida pelo escritório de advocacia Perkins Cole, que analisou 215 queixas de assédio registradas desde 2012.

Segundo o Uber, a companhia tomou medidas em 58 casos. Em outros 100, a empresa decidiu que não seria necessária nenhuma ação. Outras investigações estão em andamento.

Veja também

A companhia informou que aumentará a unidade de relações com funcionários a fim de investigar melhor denúncias, e que iria aumentar drasticamente o treinamento de gerentes, os quais na maioria são chefes pela primeira vez.

O Uber ainda não se posicionou sobre o tema.

(Com Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Francisco Eloi

    Lutamos por um Brasil melhor.

    Curtir