Restaurantes de NY proíbem clientes de fotografar pratos

Segundo chefs, prática, batizada 'foodstagram', distrai clientes e impede que eles degustem apropriadamente as refeições

O “foodstagram”, hábito de fotografar pratos servidos em restaurantes e, em seguida, compartilhar a imagem na rede Instagram, pode estar com os dias contados. Ao menos em Nova York. Segundo reportagem do jornal The New York Times, muitos restaurantes da cidade passaram a proibir seus clientes de fotografar os pratos servidos nos estabelecimentos.

Leia também:

Aeroporto tailandês é o lugar mais popular no Instagram

A proibição partiu dos chefs desses restaurantes, que se apoiam em um argumento curioso: eles dizem que a prática de fotograr os pratos e distribuir as imagens na rede distrai as pessoas e atrapalha a degustação. A política varia de lugar para lugar. Em alguns estabelecimentos, é permitido fotografar a comida, desde que não seja usado flash. Outros locais, contudo, preferem a proibição indistinta.

“Algumas pessoas são arrogantes sobre isso e não entendem a razão dessa proibição. Tentamos explicar que nosso desejo é que os clientes se reúnam ao redor de uma mesa para apreciar uma refeição. Eles pagam muito por isso. Essa prática se tornou uma distração até mesmo para os chefs”, explica Moe Issa, dona do restaurante The Chef’s Table, no Brooklyn.

O Instagram, serviço de publicação de fotos comprado pelo Facebook no ano passado, possui mais de 90 milhões de usuários ativos mensais. As fotos de comida normalmente são identificadas na plataforma com a hashtag #foodstagram, que aglutina as palavras food (alimento, em inglês) e Instagram.