Escola usa reconhecimento facial para ‘flagrar’ alunos distraídos

O software de inteligência artificial, apelidado de Nestor, será usado nas aulas à distância de uma escola parisiense

A partir de setembro, uma escola de MBA de Paris vai começar a usar inteligência artificial (IA) para identificar se um aluno está prestando atenção na aula. O software, apelidado de Nestor, será usado nas aulas online da escola parisiense ESG. O programa foi desenvolvido pela companhia americana LCA e apresentado na semana passada em um evento da ONU.

Para determinar se o estudante está prestando atenção ou não na vídeo-aula, o software Nestor coleta as imagens da webcam dos estudantes e analisa os olhares e expressões faciais. Após o fim da exposição, o programa formula e envia para os alunos questões baseadas nos momentos de desatenção. Ou seja, o quiz é feito para que o estudante saiba o instante exato em que não estava concentrado. Os professores também têm acesso aos dados do programa, para que possam melhorar suas aulas de acordo com o feedback dos estudantes.

Em um primeiro momento, Nestor só será utilizado nas aulas à distância, contudo, a companhia que o desenvolveu informou que está fazendo melhorias no programa. Um dos objetivos, por exemplo, é criar uma versão do software também que avalie os alunos em aulas presenciais. No novo formato, os alunos e professores receberiam, em tempo real, mensagens sobre o nível de atenção. O objetivo, no final, seria o mesmo: usar o feedback do programa para aumentar o desempenho e aprendizado do estudante, além e melhorar a performance dos professores durante as aulas.    

Não é a primeira vez que IA é utilizada na educação. Em outubro de 2016, por exemplo, a escola de MBA IE, em Madri, anunciou um software parecido. O WOW Room usava os mesmos mecanismo de identificação de expressões faciais para detectar os níveis de atenção dos estudantes.