Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Depois do livro, a Amazon agora quer o cinema

Livraria virtual - que vende DVDs e serviço de streaming de vídeo - produzirá filmes e já convidou cineastas a enviarem projetos

A Amazon, maior livraria virtual do mundo, pretende produzir filmes. A empresa lançou seu estúdio nesta terça-feira e convidou cineastas de todo o mundo a inscrever seus roteiros e filmes. Os trabalhos mais promissores serão transformados em produções comerciais. Para isso, a Amazon Studios pretende investir 2,7 milhões de dólares nos melhores trabalhos inscritos até o dia 31 de dezembro.

A empresa já utilizou, em 2009, a mesma estratégia para fazer comerciais, solicitando que pessoas inscrevessem vídeos para serem usados como propaganda do Kindle, seu leitor de e-books. Agora, além de avaliar cada trabalho, os usuários de internet serão capazes de propor versões alternativas. Os filmes inscritos devem ter mais de 70 minutos.

Para selecionar os projetos vencedores, a Amazon criou uma comissão que inclui o roteirista de Top Gun – Ases indomáveis, Jack Epps Jr; o produtor de Pura Adrenalina, Michael Taylor; e o roteirista de Lara Croft: Tomb Raider e O Mascara, Mike Werb. Os cineastas ganharão 200.000 dólares caso seu filme seja produzido e outros 400.000 dólares se ele lucrar mais de 60 milhões de dólares de bilheteria nos Estados Unidos.

A Amazon Studio precisará fazer uma parceria com outro estúdio para executar o filme. A Warner Bros tem preferência para produzir os trabalhos selecionados.

Apesar da empresa nunca ter produzido trabalhos cinematográficos, a Amazon é uma grande vendedora de DVDs e possui um serviço de streaming de vídeo que concorre com o Netflix. Além disso, é dona do IMDb.com, uma famosa data-base de filmes.