Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cidade do México pode limitar número de carros do Uber nas ruas

Legislação que deve ser aprovada nesta semana deve ser a primeira da América Latina a regularizar o app de motoristas e caronas pagas

A Cidade do México pode se tornar a primeira no mundo a limitar o número de carros usados no Uber, o aplicativo de motoristas e caronas pagas que tem gerado revolta em taxistas. Além disso, a legislação municipal deve incorporar outras regras, como o preço mínimo de 250 mil pesos (cerca de 16 mil dólares) e idade máxima de sete anos para os veículos utilizados. O documento que propõe a mudança legislativa pode ser votado nesta semana.

O Uber tem sofrido resistência em cidades de todo mundo. Principalmente de taxistas, que julgam o serviço como concorrência ilegal e, por isso, tentam proibi-lo. Em São Paulo, por exemplo, o aplicativo foi considerado ilegal pela Câmara Municipal.

LEIA TAMBÉM:

Porta-voz do Uber no Brasil responde às acusações de taxistas

“O que houve com o Uber ontem foi massacre, não debate”, diz único vereador a votar em favor do app

Presidente da Associação de Motoristas de Táxi rebate argumentos do Uber

Até agora, porém, as discussões em torno da legalização do app na América Latina não têm sido racionais. Políticos têm votado a favor, ou contra, mais para atender à pressão popular, vinda de usuários do app, de um lado, e de taxistas, do outro. Em São Paulo, por exemplo, as manifestações de taxistas, e a pressão política exercida pelo sindicato dessa categoria, vencem a disputa impondo suas vontades à força.

Apesar de ser considerada falha em vários pontos, a proposta de regularização da Cidade do México é um avanço nas conversas. Isso porque, se o documento for aprovado, o município será o primeiro da América Latina a criar leis próprias para o Uber.

(Da redação)