Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Apple começa a vender novos iPhones. E ações sobem

Valorização dos papéis da companhia, contudo, está longe de compensar perda da última semana

As ações da Apple registram alta de 0,66% na manhã desta sexta-feira, dia em que os novos iPhones 5s e 5C começam a ser vendidos em 11 países. Mas o crescimento no valor dos papéis não impressiona, uma vez que ele ocorre depois de queda de mais de 10%, registrada desde o anúncio dos aparelhos, na semana passada.

Leia mais:

Descubra se seu iPhone, iPad ou iPod é compatível com o iOS 7

CEO da Apple chama concorrentes de ‘sucata’

Apple lança comercial do iPhone 5C para driblar recepção fria

Pela primeira vez, a China fará parte do lançamento dos smartphones, mas alguns analistas consideram que o preço do modelo de baixo custo, o 5C, ainda é muito alto. O dispositivo, com fundo plástico e colorido, custará 99 dólares em contratos de dois anos com as operadoras americanas de telefonia, e 549 dólares sem esse tipo de contrato. “Acho o preço do 5C muito alto, considerando que deveria ser a versão de baixo custo”, disse o australiano Aaron Taylor, um consultor de TI e renomado especialista em produtos da Apple.

Já o modelo premium, o iPhone 5S, será vendido a 199 dólares em contratos com operadoras, ou 649 dólares na versão desbloqueada. Os valores são referentes às versões mais simples dos dispositivos, com 16 GB de capacidade de armazenamento.

Até o fim do ano a empresa planeja vender os novos modelos em 100 países, incluindo o Brasil. Consumidores ao redor do mundo esperaram em filas durante toda a noite, em frente às lojas das operadoras de telefonia e das Apple Stores.

Segundo analistas de mercado, a procura pela versão dourada do modelo 5s na China é tão grande que a companhia já pediu a seus fornecedores para aumentar a produção desses aparelhos. Para o analista da Piper Jaffray, da consultoria americana Gene Munster, a Apple deve vender até 6 milhões de unidades durante o fim de semana, superando o recorde anterior de 5 milhões de unidades durante o lançamento do iPhone 5.

(Com Estadão Conteúdo)