Terapia com luz estimula o desejo sexual masculino

Segundo um novo estudo, a exposição a luz intensa pode estimular os níveis de testosterona em homens com baixo desejo sexual

A exposição a luz intensa pode aumentar a satisfação sexual em homens com baixo desejo sexual. De acordo com um estudo apresentado durante o Congresso da Associação Europeia de Neuro psicofarmacologia, realizado entre os dias 17 e 20 de setembro, em Viena, na Áustria, homens com baixa libido submetidos a um tratamento de terapia da luz apresentaram aumento no nível de testosterona e relataram melhora significativa na satisfação sexual. 

Basicamente, a terapia da luz consiste na exposição do paciente a uma caixa de luz com tubos fluorescentes muito brilhantes – no mínimo dez vezes mais potente do que as luzes domésticas – que simula a exposição à luz solar. Quando o paciente olha para a caixa de luz, ela atinge a parte posterior do olho que transmite mensagens para a parte do cérebro que controla o sono, o apetite, o desejo sexual, a temperatura, o humor, entre outras atividades. O tratamento já é utilizado contra transtorno afetivo sazonal (TAS) e depressão em pessoas que vivem em locais com longos invernos. 

No estudo, pesquisadores da Universidade de Siena, na Itália, recrutaram 38 homens diagnosticados com baixa libido para o tratamento experimental com a “luz terapia”. Metade dos participantes foi tratada com uma caixa de luz intensa, semelhante à utilizada para tratar algumas formas de depressão, enquanto a outra metade (grupo de controle) foi tratada com uma caixa de luz adaptada que emitia uma quantidade significativamente menor de luz. Ao longo de duas semanas, os voluntários foram expostos a meia hora de luz no início da manhã.

Leia também:
Oito fatores que atrapalham a vida sexual
Casais que fazem sexo apenas uma vez por semana são mais felizes

Os resultados mostraram que, nos participantes do primeiro grupo, houve um aumento no nível de testosterona – de 2,1 ng/ml para 3,6 ng/ml. Esse grupo também triplicou suas pontuações de satisfação sexual, enquanto os escores e o nível do hormônio masculino no grupo de controle permaneceram praticamente os mesmos.

Segundo Andrea Fagiolini, líder do estudo, a terapia de luz contribui para esse aumento da testosterona e da libido ao inibir a glândula pineal, localizada no centro do cérebro.  “No hemisfério norte, a produção de testosterona do corpo naturalmente diminui de novembro até abril (período de outono-inverno) e, em seguida, sobe de forma constante durante a primavera e o verão, com um pico em outubro. Você vê esse efeito nas taxas reprodutivas, com o mês de junho (início do verão) mostrando a maior taxa de concepção. A utilização da caixa de luz imita o que a natureza faz.”, explicou o pesquisador.

Apesar dos resultados, os pesquisadores afirmam que ainda é necessário mais pesquisa para a “luz terapia” se tornar um tratamento contra a falta de libido em homens.