Sexo melhora o funcionamento do cérebro

De acordo com novo estudo, pessoas com mais de 50 anos que fazem sexo pelo menos uma vez por semana têm melhor desempenho em testes cognitivos

Segundo um novo estudo publicado no periódico científico Journals of Gerontology, Series B: Psychological and Social Sciences, fazer sexo pode fazer bem ao cérebro. Os pesquisadores descobriram que quanto maior a frequência das relações sexuais, melhor é a fluência verbal e consciência visual de pessoas com mais de 50 anos. Apesar disso, a prática não influenciou a qualidade da memória ou sua atenção.

“As pessoas não gostam de pensar que as pessoas mais velhas têm relações sexuais, mas precisamos desafiar essa concepção a nível social e analisar o impacto que a atividade sexual pode ter nos mais velhos, além dos efeitos sobre a saúde sexual e o bem-estar geral.”, disse Hayley Wright, principal autora do estudo, ao tabloide britânico Daily Mail.

A pesquisa

A equipe de pesquisa da Universidade de Oxford e Universidade Coventry, no Reino Unido, analisou a vida sexual e a cognição de 28 homens e 45 mulheres, com idade entre 50 e 83 anos. Os participantes completaram questionários sobre suas atividades sexuais do ano anterior. Além disso, participaram de testes para avaliar o funcionamento do cérebro, incluindo a capacidade vocabular. Para isso, eles precisaram nomear o maior número de animais possível, dentro de um minuto. Depois, o número de palavras que começassem com a letra F. Para avaliar a capacidade visual, eles precisaram observar um desenho complexo e a face de um relógio, memorizá-los e copiá-los em um papel.

Resultados

Os resultados revelaram que aqueles que mais faziam sexo se saíam melhor nos testes de fluência verbal. Eles também eram mais capazes de lembrar os objetos e espaço entre eles. Apesar disso, a atenção e a memória não se mostraram diferentes dos que não praticavam.

Os cientistas não chegaram a uma conclusão sobre o motivo dessa melhora no funcionamento do cérebro dos idosos. “Só podemos especular se esses resultados são conduzidos por elementos sociais ou físicos, mas uma área que gostaríamos de pesquisar ainda mais são os mecanismos biológicos que [o sexo] pode influenciar”, disse Hayley.

Pesquisas anteriores já mostraram que o sexo estimula áreas cerebrais associadas ao aprendizado e à capacidade cognitiva. Um estudo na Universidade McGill, no Canadá, revelou que esses estímulos afetam positivamente o desenvolvimento dos neurônios e outras células do sistema nervoso.

“Toda vez que fazemos outra pesquisa, estamos um pouco mais perto de entender por que essa associação existe, quais são os mecanismos e se existe uma relação de causa e efeito entre a atividade sexual e a função cognitiva nas pessoas idosas.”