Ser otimista protege o coração, diz estudo

Pesquisa americana constatou que pessoas otimistas têm mais chances de serem magras e de apresentarem uma boa saúde cardíaca do que as pessimistas

Pessoas otimistas têm uma melhor saúde cardiovascular, segundo um estudo publicado na edição de janeiro do periódico Health Behavior & Policy Review. A pesquisa constatou que os otimistas possuem duas vezes mais chances de terem uma saúde cardiovascular ideal em comparação com os pessimistas.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Optimism and Cardiovascular Health: Multi-Ethnic Study of Atherosclerosis (MESA)​

Onde foi divulgada: periódico Health Behavior & Policy Review.

Quem fez: Rosalba Hernandez, Kiarri N. Kershaw, Juned Siddique, Julia K. Boehm e colegas.

Instituição: Universidade de Illinois, nos Estados Unidos.

Resultado: Otimistas têm duas vezes mais chances de terem uma boa saúde do coração, quando comparados com os pessimistas.

O estudo contou com a participação de 6.000 pessoas que foram acompanhadas por onze anos. Os pesquisadores verificaram a saúde cardiovascular dos participantes por meio de medição e análise de pressão arterial, índice de massa corpórea (IMC), glicose, colesterol, dieta, atividade física e tabagismo. A cada fator positivo, atribuíam uma pontuação para o indivíduo, que variava de 0 a 2. Os participantes também fizeram testes que mediam saúde mental e física e nível de otimismo.

Leia também:

Comer abacate todo dia diminui colesterol ruim

​Seis hábitos diminuem em 90% risco de ataque cardíaco em mulheres

Resultados – De acordo com os autores da pesquisa, a pontuação da saúde aumentava conforme o grau de otimismo. As pessoas que tinham uma visão mais positiva da vida (e de suas doenças) foram até 50% mais propensas a terem as pontuações na faixa intermediária e 76% na ideal.

Os otimistas também se mostraram mais ativos fisicamente, menos propensos ao tabagismo, mais magros e com melhores taxas de açúcar e colesterol no sangue.

(Da redação de VEJA.com)