Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Seis hábitos diminuem em 90% risco de ataque cardíaco em mulheres

Pesquisa constatou que assistir menos de sete horas de televisão por semana e não fumar, por exemplo, reduzem a probabilidade de uma mulher desenvolver problemas no coração

Mulheres que seguem seis práticas saudáveis têm 92% menos risco de sofrerem um ataque cardíaco. Essa foi a conclusão de um estudo com mais de 70 000 participantes publicado na segunda-feira no periódico Journal of the American College of Cardiology.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Healthy Lifestyle in the Primordial Prevention of Cardiovascular Disease Among Young Women​

Onde foi divulgada: periódico Journal of the American College of Cardiology.

Quem fez: Andrea K. Chomistek, Stephanie E. Chiuve, A. Heather Eliassen, Kenneth J. Mukamal, Walter C. Willett e Eric B. Rimm.

Instituição: Faculdade de Saúde Pública de Harvard, Universidade de Saúde Pública Bloomington, entre outras.

Resultado: Seis hábitos saudáveis reduzem em 92% risco de ataque cardíaco em mulheres.

Foram considerados hábitos saudáveis não fumar, ter um índice de massa corpórea (IMC) normal, praticar atividade física por pelo menos duas horas e meia por semana, assistir menos de sete horas de televisão por semana, consumir no máximo uma dose de álcool por dia e seguir uma dieta saudável.

Análise – As participantes tinham em média 37 anos no início do estudo. Ao longo de duas décadas, elas foram submetidas a um questionário sobre seu estilo de vida, repetido a cada dois anos.

Durante o tempo de monitoramento, 456 participantes tiveram um ataque cardíaco. Outras 31 691 foram diagnosticadas com pelo menos um fator de risco para doenças cardiovasculares, como diabetes tipo 2 e hipertensão.

Leia também:

Ioga pode reduzir fatores de risco para doenças do coração

Perder peso em qualquer idade faz bem ao coração

“Enquanto as taxas de mortalidade para doenças do coração têm diminuído nas últimas quatro décadas nos Estados Unidos, as mulheres com idades entre 35 e 44 anos não seguiram esse declínio”, afirma Andrea Chomistek, coautora do estudo e pesquisadora da Universidade de Saúde Pública Bloomington, nos Estados Unidos. “Essa disparidade pode ser explicada por escolhas não saudáveis de estilo de vida.”

Hábitos – Os pesquisadores concluíram que as voluntárias que aderiam a todos os seis hábitos saudáveis tinham 92% menos risco de sofrerem um ataque cardíaco e 66% de desenvolver algum fator de risco para doenças do coração.

De acordo com os autores, se todas as participantes tivessem seguido as práticas saudáveis, três quartos dos ataques cardíacos não teriam acontecido. Além disso, a mulher que já apresentava um fator de risco e que começou a seguir pelo menos quatro das práticas apresentou uma diminuição significativa do risco de desenvolver doença no coração.

“Essa é uma importante mensagem de saúde pública. Incorporar esses hábitos de vida o quanto antes é um método fácil de prevenir futuros problemas no coração”, diz Andrea.

(Da redação de VEJA.com)