Seis em cada dez brasileiros não fazem exercícios

Dados do Pnad 2015 mostraram que 60% dos brasileiros com mais de 15 anos não praticam nenhum tipo de exercício físico

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015, divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que 60% dos brasileiros com mais de 15 anos não praticam nenhum tipo de atividade física. Isso equivale a 100,5 milhões de pessoas sedentárias. Na comparação entre os gêneros, as mulheres se exercitam menos que os homens. Entre eles, 42,7% têm algum hábito esportivo. Já nas mulheres, a taxa é de apenas 33,4%. Essa é a primeira vez que a pesquisa levanta dados sobre o assunto.

Como já era de se esperar, a faixa etária mais ativa é a de adolescentes com idade entre 15 e 17 anos. Quase metade (44%) dessa população realiza algum exercício. Por outro lado, as que menos se exercitam são pessoas com mais de 60 anos. Apenas 13,4% praticam alguma atividade física. No levantamento por regiões,  Centro-Oeste (41,1%) e Sul (40,8%) foram as menos sedentárias, seguidas pelo Sudeste (37,5%) , Norte (36,6%) e Nordeste (36,3%).

Observou-se também uma relação positiva entre as práticas de esporte e atividade física e o nível de escolaridade e rendimento mensal da população.

Veja também

Esportes

No que diz respeito à prática de esportes, o desejo de relaxar ou se divertir foi apontado como a principal motivação para aqueles que fazem exercícios físicos, com 28,9% das respostas. Em seguida vieram a melhora na qualidade de vida ou o bem estar (26,8%) e o aprimoramento ou a manutenção do desempenho físico (19,9%).

Como já era de esperar, o futebol foi apontado como o esporte mais praticado entre os entrevistados, 39,3% dos brasileiros disseram jogar bola – maioria homens -, seguido da caminhada (24,6%) e de “fitness“.

Os locais de prática de atividade física mais apontados foram as instalações esportivas pagas e a frequência mais mencionada foi quatro vezes por semana ou mais. O tempo dedicado à atividade física foi de mais de uma hora para 43,4% das pessoas de 15 anos ou mais. O tempo mínimo dedicado aos esportes foi de 20 minutos por dia. Como na prática de atividade física, a duração do exercício foi maior entre os homens: 50,4% o faziam por mais de uma hora. Entre as mulheres, 31,5% praticavam mais de uma hora.

Já os sedentários deram justificativas como a falta de tempo (38,2% dos pesquisados), o fato de não gostarem de exercícios (35%) e de terem problemas de saúde impeditivos ou idade avançada (19%) para não praticarem atividades físicas.

O Pnad perguntou também se os entrevistados acreditavam que deveria haver mais investimento público em esportes e atividade física. Os resultados apontam que 118,6 milhões de pessoas opinaram que o poder público deveria sim investir nessas atividades.

Sedentarismo e obesidade

A obesidade é um dos grandes males da atualidade e o aumento do sedentarismo entre a população está diretamente relacionado com esse quadro. Uma pesquisa realizada em 2015 mostrou que o sedentarismo é o maior vilão da epidemia de obesidade nos Estados Unidos.

Por outro lado, é importante ressaltar que mesmo pessoas que não estão acima do peso devem praticar algum tipo de atividade física regularmente. De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Cambrigde, na Inglaterra, o número de mortes relacionadas ao sedentarismo é duas vezes maior do que as ligadas à obesidade. Felizmente, o estudo também constatou que apenas 20 minutos por dia pode reduzir a mortalidade em pessoas com menos de 65 anos, uma vez que diminui o risco de desenvolvimento de doenças do coração e câncer.