Saiba qual exercício faz viver mais

Um novo estudo mostrou que o treino HIIT pode contribuir para a perda de peso e para a longevidade

Fazer atividade física regularmente, independente de qual e quanto, sempre traz benefícios para a saúde. Mas, de acordo com um estudo recente, um tipo específico de exercício pode contribuir não só para a boa forma, mas também para a longevidade. Publicada no periódico científico Cell Metabolism, a pesquisa sugere que o famoso HIIT (High-Intensity Interval Training, algo como treinamento de intervalo de alta intensidade) pode alterar mudanças relacionadas ao envelhecimento em nível celular.

O HIIT baseia-se em uma técnica similar ao que era chamado de treino de “tiro”. Ou seja, combina exercícios de alta intensidade (corrida em esteira, bicicleta ergométrica, saltos sobre caixas de madeira e movimentos usando o peso do próprio corpo, entre outros) com intervalos de até cinco minutos de repouso. Os principais resultados dessa técnica são: redução mais rápida de peso e melhora no condicionamento físico. Em meia hora de atividade, são gastas aproximadamente 400 calorias. Uma sessão de musculação moderada queima a metade disso no mesmo tempo.

O estudo

Agora, além de todos esses benefícios, cientistas concluíram que o HIIT também pode te ajudar a viver mais. No estudo, pesquisadores mediram o índice de massa corporal (IMC) e os níveis de insulina de dois grupos de participantes, um mais novo, com idades entre 18 e 30 anos e outro mais velho, de 65 a 80 anos. Em seguida, os voluntários foram divididos em três equipes, de acordo com o tipo de exercício que deveriam fazer, segundo informações da revista americana Time. 

Benefícios da atividade física

O primeiro grupo deveria seguir um treino HIIT com bicicleta, o segundo um treinamento de resistência que incluía levantamento de peso e, o terceiro, uma combinação dos dois. Os resultados mostraram que todos os exercícios melhoraram o condicionamento físico das pessoas e aumentaram sua sensibilidade à insulina.

Como já era de se esperar, o treinamento de resistência foi o que mais aumentou a massa muscular. Já o HIIT e o combinado melhoraram a capacidade aeróbica dos participantes.

Como o HIIT contribui para a longevidade

No entanto, no que diz respeito a alterações em nível celular, o HIIT foi o que trouxe maior benefício. Segundo os pesquisadores, os participantes que seguiram esse treinamento apresentaram melhora no declínio relacionado com a idade nas mitocôndrias musculares, parte responsável por gerar energia às células. O treino também pareceu aumentar a produção de proteínas nas células, algo importante para o bom funcionamento do corpo e que normalmente diminui durante o envelhecimento. O interessante é que esses benefícios foram observados nas pessoas das duas faixas etárias.

Embora esses sejam resultados preliminares, eles fornecem uma visão sobre como o exercício pode melhorar a saúde de uma pessoa, mesmo entre idosos.