Primeiro caso de microcefalia ligada ao zika é confirmado nos EUA

Departamento de saúde do Havaí informou, nesta sexta-feira, que um bebê nascido no Estado havia sido infectado pelo vírus

Os Estados Unidos confirmaram o primeiro caso de microcefalia ligada ao zika. O departamento de saúde do Havaí informou, nesta sexta-feira, que um bebê nascido no Estado havia sido infectado pelo vírus, segundo noticiou o The New York Times, neste sábado.

De acordo com o jornal americano, a mãe do bebê esteve no Brasil em maio de 2015, quando acredita-se que tenha sido infectada pelo zika. Desde 2014, o Havaí registrou seis pessoas com o vírus, sendo que todas foram infectadas fora do país.

Ainda nesta sexta, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos emitiram um alerta recomendando que mulheres grávidas evitem viagens ao Brasil e outros 13 países da América Latina por causa zika.

A agência de saúde pública dos EUA também instou mulheres que estão tentando engravidar a consultar um médico antes de visitar os países latino-americanos – além de tomarem medidas de prevenção contra a picada de mosquitos durante as viagens.

O zika é transmitido pelo mesmo mosquito da dengue e da febre chikungunya, o Aedes aegypti. Assim como ocorre com a dengue, não há tratamento para o zika: os remédios são indicados somente para o controle dos sintomas, com paracetamol ou dipirona para o manejo da febre e da dor e anti-histamínicos para as reações alérgicas.

Leia mais:

Novo exame detecta dengue, zika e chikungunya simultaneamente

Avanço da dengue em 2015 é recorde: 1,6 milhão de casos e 863 mortes

(Da redação)