Câncer

AIDS

Doenças
da modernidade

Stress

Tabagismo

Obesidade

Doenças cardíacas

Envelhecimento

Depressão

Anorexia

Alimentação

Gravidez e Filhos

Adolescência

Saúde infantil

Gravidez

Infertilidade

Males freqüentes

Gripes e resfriados

Dor de cabeça

Alergias

TPM e Menopausa

Distúrbios do sono

Diabetes

Tecnologia

Exames/Remédios

Transplantes

Medicina alternativa

Terceira idade

Cuidados no verão

Odontologia

Testes

Links úteis

Em Dia

Câncer

AIDS

Gripe do frango

Pneumonia asiática

Malignos, comuns e traiçoeiros
26/11/2003

O medo exagerado
5/11/2003

Não perca
o sono
24/9/2003

Um gesto que
pode salvar
20/8/2003

Com o coração
nas mãos

30/7/2003
Edição especial
VEJA Saúde

11/2002
Respostas

Tema
Dor de cabeça

Julho de 2003

Estas foram as questões selecionadas pela redação de VEJA on-line e respondidas pelo neurologista Dr. Edgard Raffaelli Jr. (CRM 9632), Presidente Honorário da Sociedade Brasileira de Cefaléia e Membro Vitalício da Sociedade Internacional de Cefaléia.

Clique aqui para acessar a segunda parte das perguntas respondidas pelo médico.

Atenção!

Esta coluna não substitui uma consulta médica.
Procure sempre uma avaliação pessoal com
um médico de sua confiança.


Pergunta

É normal ter dor de cabeça por causa de fome ou por não dormir direito?
Michelle – Paulínia/São Paulo

Resposta
Há mais de 150 motivos que podem causar dor de cabeça, porque este é o número de cefaléias catalogadas até agora. Creio que a sua pergunta diz respeito à enxaqueca, que é a dor que mais incomoda os portadores de cefaléia, e cuja causa principal é a hereditariedade: em 75% dos enxaquecosos identifica-se imediatamente um ancestral com o mesmo problema (geralmente a mãe, já que a enxaqueca é mais comum nas mulheres – mas pode ser a avó ou até irmãos ou primos). Se a mãe ou a avó não tem enxaqueca mas os irmãos ou primos consangüíneos a têm, isso é sinal de que o distúrbio biogenético que gera a doença está presente na família.
Além da causa genética, há a predisposição ao aparecimento de crises e há os gatilhos que são os deflagradores das mesmas. Você pergunta a respeito de dois desses gatilhos: o primeiro é "estar com fome", o que significa queda do nível de açúcar no sangue e no cérebro, e o segundo é "não dormir direito". Tudo o que interfere com o funcionamento do cérebro (por exemplo, a hipoglicemia e a noite mal-dormida, em que o cérebro não repousa) pode ser motivo para uma crise de enxaqueca.


Pergunta
Sinto dores fortes de cabeça diariamente, tomo remédios todos os dias e já estou cansada desta rotina. Como poderia melhorar minha vida?
Sheilah – Presidente Médici/Rondônia

Resposta
O sistema nervoso central (cérebro e medula) possui células que, quando estimuladas, produzem uma substância chamada endorfina, cuja função é combater dores e proporcionar bem-estar. Um dos estímulos para a produção de endorfina é a própria dor.
Se você tem cefaléia diária e toma analgésicos diariamente, você está prejudicando a sua defesa natural contra as dores porque os analgésicos impedem a liberação de endorfina. Quanto mais analgésicos você tomar, pior e mais freqüente vai ficar a sua dor de cabeça. Qual a solução? Parar os analgésicos totalmente mas iniciando, ao mesmo tempo, um tratamento que vise impedir o aparecimento de crises. Isso não é fácil de ser feito, principalmente por uma pessoa que tem cefaléias todos os dias, mas não é impossível. O importante é encontrar um médico que estude o assunto e se disponha a trabalhar junto com você para a solução de seu problema. Como já foi dito antes, isso não é fácil e, no seu caso, é particularmente difícil por você viver em uma região em que não há neurocefaliatras (especialistas em cefaléia). Há uma alternativa porém: telefone após as 14 horas para a Sociedade Brasileira de Cefaléia – (0xx11) 3032-8572 –, de segunda a quinta-feira, e veja em que cidade mais próxima será possível encontrar um neurocefaliatra.


Pergunta
Gostaria de saber mais detalhes sobre a cefaléia orgásmica.
Cleusa – Itápolis/SP

Resposta
A cefaléia orgásmica é rara e acomete principalmente os homens. Há várias teorias para explicar este tipo de cefaléia mas o importante é ter certeza de que ela não é causada por um tumor ou uma malformação cerebral, o que pode ser feito facilmente com uma angiorressonância magnética de crânio. É raro (bastante raro mesmo) que a cefaléia orgásmica tenha este tipo de origem, mas a pesquisa dessas possibilidades é fundamental. Não se encontrando nada no exame, o/a paciente deve ser tratado de acordo com a freqüência e a intensidade dos seus sintomas, quer de maneira contínua quer apenas na ocasião da relação sexual.


Pergunta
Gostaria de saber o porquê da dor de cabeça no período menstrual e como é possível curá-la.
Sylvia – Bahia

Resposta
É importante saber que a menstruação, a tensão pré-menstrual (TPM), a cefaléia menstrual e a menopausa ocorrem por estímulos neurológicos e não ginecológicos. Para que a mulher menstrue, é necessário que certas estruturas cerebrais (o sistema límbico) produzam hormônios que vão estimular a hipófise (que também faz parte do cérebro) já que é dela que sairão os hormônios que vão atuar sobre os ovários e o útero. Com isso explicado, seria lógico dizer que os problemas relacionados à menstruação deveriam ser resolvidos pelo neurologista – infelizmente, ainda não chegamos a esse ponto e é o próprio ginecologista que se encarrega, na maior parte das vezes com grande sucesso, de resolver tais problemas. Quando isso não ocorre, uma visita ao neurocefaliatra (há vários aí na Bahia) talvez ajude.


Pergunta
Se há tantos diagnósticos errados sobre o tipo de dor e o tratamento correto, qual o especialista que devemos procurar? Como saber se estamos realizando o tratamento correto? Há alguma indicação de profissional aqui em Brasília?
Jussara – Brasília (DF)

Resposta
O ideal seria procurar o neurocefaliatra, mas há poucos deles em todo o Brasil (são cerca de 400). Os neurologistas gerais, mesmo aqueles não-especializados no assunto, têm melhores chances de resolver uma dor de cabeça do que um médico que não tem treinamento neurológico. Você saberá se está fazendo o tratamento correto se os resultados obtidos forem bons. Entretanto, não espere bons resultados a curto prazo: a espera pela melhoria vai depender da freqüência e da intensidade das crises e, principalmente, de há quanto tempo elas ocorrem. Por isso, um tempo menor que três a seis meses não são suficientes para se avaliar se o profissional está realmente na pista certa para resolver o problema. Brasília tem membros da Sociedade Brasileira de Cefaléia. Telefone após as 14 horas para a Sociedade Brasileira de Cefaléia – (0xx11) 3032-8572 –, de segunda a quinta-feira, e receba os nomes e telefones desses profissionais.


Pergunta
Eu sinto dores de cabeça quase todos os dias. Gostaria de saber se tem algo a ver com computador ou se é conseqüência de eu dormir tarde.
Fernanda – Cabo Frio/RJ

Resposta
Trabalhar com computador ou dormir tarde todos os dias não dão cefaléia freqüente. Há outra causa para a sua queixa e o importante é ter detalhes sobre as características da dor para dar uma opinião. São poucas as dores que ocorrem "praticamente todos os dias", sendo as mais comuns a cefaléia do tipo tensional crônica e a enxaqueca. Só informações detalhadas sobre o tipo de dor (peso, pressão, latejamento, queimação, pontada), freqüência da dor (mais ou menos que 15 dias por mês), localização da dor, quais são os seus gatilhos (se é que os há) é que poderiam trazer luzes para uma resposta adequada à sua pergunta.


Pergunta
Tenho enxaqueca há anos e descobri que fazendo exercícios físicos regularmente, me mantenho longe desses episódios. Notei também que um mal-estar estomacal desencadeia uma crise. Essas crises podem deixar seqüelas ou desenvolver enfermidades graves?
Angélica – Porto Alegre/RS

Resposta
Fazer exercícios físicos, principalmente caminhadas diárias de 30 a 45 minutos a passo rápido, é uma das melhores maneiras para estimular o cérebro a produzir endorfina mesmo na ausência de dor e isso explica porque você controla bem suas dores.
Já quanto a um mal-estar estomacal desencadear uma crise há um equívoco. O que ocorre na realidade é que uma crise de enxaqueca começa pela liberação de duas substâncias químicas cerebrais: a noradrenalina, que vai provocar a liberação de substâncias inflamatórias que vão causar dor nas artérias do couro cabeludo, e a dopamina, que além de estimular náuseas e vômitos, ainda provoca uma paralisia transitória do estômago. A noradrenalina geralmente leva horas para desencadear a dor mas a dopamina é de funcionamento rápido, o que faz com que as náuseas e o mal-estar gástrico antecedam o aparecimento da dor, dando realmente a impressão de que tudo começou no estômago – mas essa impressão é errônea. As crises de enxaqueca não deixam seqüelas e nem se prestam para o aparecimento de enfermidades mais graves. Sob esse ponto de vista ela é uma doença benigna, mas sob o ponto de vista de qualidade de vida, ela é realmente uma das piores doenças que se pode ter quando se entra em crise.


Pergunta

Sempre gostei de esportes mas também sempre tive dores de cabeça após praticá-los. Quando forço um pouco mais, além de dores terríveis de cabeça, tenho náuseas. Gostaria de saber se corro algum tipo de risco.
Luiz Antonio - Caldas Novas/GO

Resposta
O fato de você ter dor de cabeça "desde muito cedo" sugere que a sua dor seja de enxaqueca, o que é corroborado pela sua informação seguinte, de que exercícios físicos lhe dão cefaléia e até náuseas. Esta é uma das características da enxaqueca: ela é provocada por exercícios físicos. Veja bem: um exercício moderado aumenta a endorfina e melhora a cefaléia, ao passo que um exercício exagerado provoca o aparecimento da dor. É uma questão de bom senso saber escolher entre os dois. De qualquer modo, repondendo a sua última pergunta, não há nenhum risco (no que diz respeito à cefaléia) pela prática de esportes.


Pergunta
Existe relação entre o consumo de café e a dor de cabeça?
Jorge Henrique - Rio de Janeiro/RJ

Resposta
O café, como o exercício, tem função dupla na cefaléia: tanto pode melhorá-la como pode piorá-la. Note que muitos analgésicos têm cafeína em sua composição porque a cafeína aumenta o efeito analgésico. A função da cafeína não é agir como vasosilatador "melhorando a circulação sangüínea na cabeça". Seu funcionamento é mais complexo do que isso, tanto que existe a "cefaléia de rebate da suspensão da cafeína": um executivo que, durante a semana, toma inúmeros cafezinhos com os seus clientes pode desenvolver uma cefaléia de fim de semana, exatamente porque nos fins de semana ele diminui a ingestão de café.


Pergunta
Eu queria saber eu que eu posso fazer para aliviar a dor de cabeça, além de tomar remédios.
Julio Cesar - João Pessoa/PB

Resposta
Sua pergunta é muito vaga: de qual dos mais de 150 tipos de cefaléia você está falando? Se for uma cefaléia cervicogênica, há exercícios para a coluna cervical que abrandam a dor. Se for uma síndrome pescoço-língua (um tipo bem raro de cefaléia), a cura está na ginástica cervical especializada. Se for uma enxaqueca, o benefício obtido pelos exercícios de relaxamento é grande. Além dessas alternativas, pouco mais pode ser feito embora, às vezes, uma psicoterapia bem conduzida possa diminuir a tensão tanto muscular como psicológica do paciente e diminuir sua cefaléia.


Pergunta
Minha enxaqueca chega precedida por aquela famosa "aura" que começa bem no ponto de acuidade visual e vai se tornando um gráfico que se espalha ao redor do olho. Tenho 61 anos e se como chocolate ou doces à noite, ou se bebo um copo de cerveja ou vinho, a dor sempre aparece.
ines Caldeira Natucci inaina@ig.com.br São Paulo - SP

Resposta
Aos 61 anos de idade e com uma história antiga e nitidamente familiar de enxaqueca, a senhora poderia falar das relações de sua dor com as menstruações, com as gravidezes, com anticoncepcionais, com tensão pré-menstrual, com alimentos provocadores de crises, etc. Na realidade, a enxaqueca é um mundo de sinais e sintomas que estragam a qualidade de vida do paciente de tal modo que ter que ficar privado de chocolate, doces, cerveja e vinho são queixas até que pequenas em comparação com todo o resto que o enxaquecoso sofre. A senhora pergunta se podemos ajudá-la: sim, podemos. A senhora mora em São Paulo, onde há três serviços que atendem pacientes com cefaléia gratuitamente: o Hospital das Clínicas, o Hospital São Paulo e a Santa Casa. Além disso, a senhora pode telefonar para a Sociedade Brasileira de Cefaléia.


Pergunta
Tenho uma dor estranha quando espirro ou quando faço movimentos bruscos. Não tenho sinusite, tenho rinite alérgica, mas não encontraram nenhuma associação com a dor. No decorrer do dia tenho dores que logo passam. Mas fica aquela pressão na cabeça, aquela dor ardida.

Luciana - Brasília/DF

Resposta
Sua dor não é sinusite nem enxaqueca. Ela é denominada "cefaléia de esforço" e seu tratamento é diferente tanto do tratamento da sinusite como do tratamento da enxaqueca. Em Brasília há membros da Sociedade Brasileira de Cefaléia. Procure um deles e resolva o seu problema.


Pergunta
Tenho um filho com 12 anos de idade. Pelo menos uma vez por semana ele reclama de dor de cabeça. Já o levei ao oftalmologista e ao gastro porém nada foi diagnosticado. Mesmo assim, acredito que se trata de enxaqueca, devido à sua má alimentação. O que o senhor me aconselharia para que eu pudesse ajudá-lo a combater este mal?
Rita de Cássia - Vitória/ES

Resposta
Esta é uma rotina que está sedimentada na mente da população e que não tem razão de ser: quando uma criança se queixa de cefaléia, ela é levada ao oftalmologista e/ou ao otorrinolaringologista. Por que não levá-la ao neurologista, que pode fazer o diagnóstico da causa da dor e encaminhar a criança para o tratamento ou para o médico adequado? Por outro lado, alimentação não tem nada a ver com enxaqueca. Tirando o chocolate, o álcool (de um modo geral), o açúcar e alguns outros raros alimentos que podem, eventualmente, desencadear crises em pessoas sensíveis, o paciente portador de cefaléia não deve ter preocupação com o que come. Só quando nota que um determinado alimento provoca crises, deve evitá-lo mas não é necessário se afastar de outros alimentos só porque ouviu dizer que eles provocam cefaléia.


Pergunta
Eu sofria muito com dor de cabeça depois das aulas e do trabalho. Descobri que essa dor se dava devido a um problema de visão e, desde então, uso lentes corretivas. Mas eu ainda estou sentindo dores quase toda semana e sempre depois do trabalho. Será estresse?
Sidnei - Salto/ SP

Resposta
Você tem parentes com problema de cefaléia? Como as lentes não resolveram sua dor de cabeça, você agora está pensando em estresse, que também não é causador de dor de cabeça. Procure um neurologista ou um neurocefaliatra, obtenha um diagnósticos e dedique-se ao tratamento da verdadeira causa de sua dor.


Pergunta
Tenho dores de cabeça constante com sintomas estranhos: a visão embaça e ficam luzinhas piscando; sinto dormência nas mãos, na língua e parte do rosto; algumas vezes tenho vômitos e uma indisposição terrível. Gostaria de saber estes sintomas são de enxaqueca e se for, há cura?
Marcio - Brasília (DF)

Resposta
A sua dor de cabeça é uma "enxaqueca com aura" cujas características são: distúrbios visuais variados, formigamento na metade da língua e no canto da boca do mesmo lado da dor, formigamento e dormência do membro superior e da mão no mesmo lado da dor. Esta fase é a chamada "aura" e é seguida pela dor típica da enxaqueca. No seu caso, parece não haver dor seguindo-se à aura, apenas vômitos e indisposição. Esta seria uma variante da enxaqueca sem aura e é chamada "aura de enxaqueca sem cefaléia". Tem tratamento e as perspectivas de melhora são muito boas.

 
 
  
topovoltar