Parceiros de mulheres com câncer de mama sofrem mais transtornos emocionais

A falta de apoio emocional e social é que desencadeia problemas psicológicos

“Uma triagem nos parceiros de pacientes com câncer é fundamental para diagnosticar sintomas depressivos”

O câncer de mama não afeta apenas a saúde psicológica das mulheres. De acordo com uma recente pesquisa do Institute of Cancer Epidemiology, de Copenhagen, maridos e namorados (e alguns parentes próximos) de pacientes têm 39% mais chance de desenvolver problemas psicológicos, como depressão e transtorno bipolar. Em alguns casos, a situação pode se mostrar severa o suficiente para acabar em internação hospitalar.

Apesar de toda a família ser afetada emocionalmente, os parceiros das pacientes são os mais atingidos, já que acabam sendo privados de qualquer apoio afetivo, social ou econômico em prol de suas companheiras. “Acreditamos que uma triagem nos parceiros de pacientes com câncer é fundamental para diagnosticar sintomas depressivos”, afirma Christoffer Johansen, um dos coordenadores do estudo. Ele ainda enfatiza que o tratamento não deveria se restringir apenas à mulher, mas incluir também seus companheiros.

O estudo analisou históricos de 20.538 homens que mantinham relacionamentos com mulheres acometidas pela doença, ao longo de 13 anos. Do total, 180 foram internados com algum tipo de transtorno emocional. Uma recaída na doença da paciente significou um risco ainda maior de eles desenvolverem este tipo de problema. Já os homens que tiveram de enfrentar a morte da mulher em decorrência do câncer apresentaram 3,6% mais chance de ter algum tipo de transtorno afetivo.