Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Música ajuda a melhorar saúde cardíaca

Pesquisa afirma que ouvir música durante a prática esportiva ajuda na manutenção e na recuperação dos vasos sanguíneos

Uma nova pesquisa apresentada neste domingo no Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, realizado em Amsterdã, na Holanda, mostrou que a audição de música pode ajudar na recuperação de pacientes com doença arterial coronariana. O ritmo e a banda não importam, desde que sigam o gosto musical do paciente – e que a música seja acompanhada por uma série de exercícios físicos.

Saiba mais

DOENÇA CORONARIANA

Também chamada de coronariopatia, é uma frequente doença cardiovascular na qual o transporte que leva o sangue ao músculo cardíaco está bloqueado parcial ou completamente. É provocada pelo depósito de colesterol e outras gorduras nas paredes das artérias coronárias. Embora atinja os dois sexos, acomete os homens em geral dez anos mais cedo e, geralmente, acomete as mulheres após a menopausa. Idade avançada, pertencer ao sexo masculino, e ter histórico familiar na doença na família são alguns dos fatores de risco do problema, que também envolvem hábitos de vida, como tabagismo, má alimentação, sedentarismo e obesidade.

Os pesquisadores já sabiam que a atividade física é uma importante ferramenta para melhorar a função das células endoteliais – que cobrem o interior dos vasos sanguíneos e são responsáveis por criar novas veias e recuperar as danificadas. Por isso, os exercícios costumam fazer parte do tratamento receitado a pacientes que tenham passado por doenças coronárias. “O treinamento físico tem sido usado para melhorar a função endotelial, e é a pedra fundamental de um programa multifacetado de reabilitação cardiovascular. No entanto, pouco se sabe sobre o papel da música na reabilitação desses pacientes”, diz Marina Deljanin Ilic, pesquisadora da Universidade de Nis, na Sérvia, e autora do estudo.

Em sua pesquisa, a cientista avaliou os efeitos da música sobre a recuperação de 74 pacientes com doença arterial coronariana. Para isso, ela mediu o nível em seu sangue de marcadores que indicam a ação das células endoteliais e, portanto, a recuperação de seus vasos sanguíneos.

Os pacientes foram divididos em três grupos. Dez foram submetidos a um tratamento que envolvia a audição de suas músicas preferidas durante 30 minutos por dia, 33 passaram por um treinamento físico aeróbico diário, e outros 31 pacientes foram submetidos a um tratamento que combinava tanto os exercícios físicos quanto a audição de música.

Três semanas após o início do experimento, os pesquisadores perceberam que os marcadores analisados haviam aumentado sua concentração no sangue dos três grupos de pacientes. Os voluntários que obtiveram os melhores resultados – apresentando uma taxa de função endotelial significantemente maior que os outros – foram aqueles que combinaram o tratamento musical com os exercícios físicos.

Leia também:

Estudo mostra como o cérebro relaciona músicas e cores

Música ajuda a reduzir rejeição de órgãos, diz estudo

Eles foram seguidos pelo grupo que utilizou apenas os exercícios físicos e, em último lugar, apareceu o grupo que se utilizou apenas da música em seu tratamento. “Os benefícios da música para a saúde vascular podem ter acontecido por causa das endorfinas liberadas pelo cérebro quando ouvimos as músicas que gostamos”, diz Ilic.

Segundo a pesquisadora, a audição de música pode ser usada em conjunto com os exercícios físicos para melhorar a função endotelial e ajudar na recuperação de pacientes com doenças coronárias. “Não há uma música ideal para todos; os pacientes devem escolher aquelas que aumentem suas emoções positivas e os deixem felizes e descontraídos.”