Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Iogurte grego, uma dádiva para o estado de Nova York

Mais saudável que os demais iogurtes e lanchinhos, o iogurte grego é um sucesso de vendas nos Estados Unidos. “É uma textura deliciosa e podemos comer sem culpa”, afirmou David J. Browne, analista sênior da Mintel International Group, empresa especializada em pesquisas de consumo. Para a economia de Nova York, o iogurte grego é bastante saudável. Duas das principais fabricantes, a Chobani e a Fage, ficam no estado de Nova York e já estão expandindo suas atividades. A Alpina Foods, braço americano da grande empresa de laticínios da América do Sul, está construindo uma fábrica de vinte milhões de dólares em Batavia para produzir iogurte grego coberto com granola. E autoridades de desenvolvimento econômico do estado estão negociando com outra grande empresa do setor para construir uma fábrica de laticínios na área, ajudando a transformá-la no que um executivo chamou de “bolsão do iogurte”. Duas vezes mais caro que o iogurte normal, o iogurte grego praticamente não tem soro nem água. Isso o torna mais rico em proteínas e com a densidade de uma coalhada. De acordo com a Mintel, as vendas do iogurte mais que duplicaram em todo o país no último ano, chegando a um total de 821 milhões de dólares no período de 52 semanas que acabou em outubro, sem levar em conta as lojas do Wal-Mart. A empresa de pesquisa acredita que o forte crescimento das vendas irá continuar neste ano. Os produtores de leite do estado de Nova York são os principais beneficiários da paixão do público pelo iogurte grego, já que ele leva muito mais leite em sua fabricação. “Esse é o tipo da coisa que só acontece uma vez a cada duas ou três gerações”, afirmou Bruce Krupke, vice-presidente executivo da associação de produtores de laticínios do nordeste dos Estados Unidos. “Todas as condições necessárias se uniram para que o estado de Nova York fosse o melhor lugar para se construir”. Dados da Secretaria de Agricultura do Estado de Nova York mostram que cerca de 167 mil toneladas de iogurte foram produzidas no estado em 2010, 40 por cento mais que no ano anterior. A produção cresceu quase 60 por cento nos últimos cinco anos. Uma boa parte desse crescimento ocorreu em função da produção do iogurte grego. E o crescimento não dá sinais de que vai parar. Por meio da construção e expansão de novas fábricas, nos próximos anos o estado poderá duplicar a produção do iogurte. “Para dar conta da demanda, nós estamos construindo enquanto falamos”, afirmou Russell B. Evans, diretor de marketing da Fage nos Estados Unidos. A Fage, com sede na Grécia, é responsável por introduzir o iogurte grego no mercado americano, iniciando o boom das vendas do produto. A empresa escolheu abrir sua fábrica em Johnstown, em 2008, porque a cidade fica próxima a Nova York, onde vive uma grande comunidade de descendentes de gregos, que já estavam familiarizados com o produto. Mas a Fage acabou atingindo um público muito mais amplo. A fábrica de Johnstown tinha uma capacidade inicial de 11,7 mil toneladas por ano, mas, no ano passado, chegou a produzir 55,8 mil toneladas. A expansão planejada, que deve levar cerca de dois anos, permitirá que a empresa produza cerca de 160 mil toneladas do produto por ano. A AgroFarma, fundada por um imigrante turco, começou a produzir iogurte grego com a marca Chobani há quatro anos, em uma antiga fábrica da Kraft Foods em South Edmeston, no estado de Nova York. Atualmente, essa é a maior produtora de iogurte grego, utilizando cerca de mil e quatrocentas toneladas de leite todos os dias e produzindo um total de 454 toneladas de iogurte. Quando a fase atual da expansão acabar, no começo do ano, a capacidade de produção aumentará cerca de 30 por cento, afirmou Mikael B. Pedersen, diretor de operações da AgroFarma. Chobani anunciou planos para construir uma fábrica de 128 milhões de dólares no estado do Idaho, para facilitar o fornecimento do iogurte em todo o território americano.) O aumento das vendas do iogurte grego refletiu na geração de empregos nas desoladas áreas rurais do estado de Nova York. Segundo a Chobani, a empresa emprega cerca de 900 pessoas em Nova York e espera abrir 100 novas vagas. De acordo com a Fage, a empresa tem cerca de 240 funcionários de período integral e espera abrir 150 novas vagas. A nova fábrica da Alpina em Batavia irá empregar cerca de 50 pessoas. “Por muitos anos, nós não acreditamos que haveria qualquer modificação na fabricação de laticínios no estado de Nova York”, afirmou Patrick M. Hooker, diretor sênior de desenvolvimento industrial da Empire State Development Corporation, uma agência de desenvolvimento econômico controlada pelo Estado. Ninguém esperava pelo iogurte grego. Hooker afirmou que a fabricação de iogurte gerou uma quantidade impressionante de empregos, em comparação com outras formas de produção agrícola. Para fazer Iogurte, é necessário haver pasto, “para alimentar as vacas, que precisam ser ordenhadas. O leite precisa ser transportado, processado, fermentado e transformado em iogurte. O iogurte precisa ser transportado novamente e enviado para os consumidores”, afirmou Hooker. “É um enorme multiplicador.” Além disso, para que o iogurte grego tenha maior densidade, é preciso mais leite para produzi-lo. Os executivos do setor afirmam que três litros de leite produzem cerca de um quilo de Iogurte grego; já a proporção para os tipos tradicionais de iogurte é de um para um. “O crescimento da produção de laticínios, em especial do iogurte grego, foram um dádiva para os produtores do estado de Nova York”, afirmou Julie C. Suarez, diretora de políticas públicas do New York Farm Bureau, um grupo comercial de agricultores. Ela citou uma estimativa da Universidade Cornell, que prevê um aumento de 15 por cento na produção de leite no estado de Nova York nos próximos dois anos para dar conta da demanda. Uma vez que o preço do leite depende de um complexo sistema de controles federais, não há uma relação direta entre o aumento da demanda e a mudança dos preços. Os preços do leite aumentaram em todo o país no último ano, depois de cair drasticamente durante a recessão. Ainda assim, a demanda dos produtores de iogurte de Nova York contribuiu para o aumento do preço do leite, em parte por conta dos bônus oferecidos para os fornecedores de leite de alta qualidade. Suarez conta que os produtores se beneficiaram do fato de contar com um mercado confiável para o seu leite. Isso lhes dá a segurança necessária quando eles planejam expandir seus rebanhos e reduzir os custos de transporte, já que o mercado é local. O mercado do estado de Nova York foi o que cresceu mais rapidamente, mas outros estados também sentiram o crescimento da produção. A Califórnia produz mais leite que qualquer outro estado e é o principal produtor de iogurte do país. A produção de iogurte na Califórnia foi de cerca de 281 mil toneladas em 2009, segundo os dados disponíveis. Um crescimento de 6,5 por cento em relação ao ano anterior. O Tennessee é outro estado que viu o rápido crescimento de sua produção de iogurte, em parte como resultado da expansão da uma grande fábrica da Yoplait na região. “Pare e pense”, comentou John Sanford, fiscal de laticínios da Secretaria de Agricultura do Tennessee, sobre as razões para o aumento do consumo de iogurte. “É nutritivo, seguro, saudável e delicioso. Poderia ser melhor?”