Idosos que começam a se exercitar envelhecem melhor

Estudo mostrou que pessoas com mais de 60 anos que abandonam o sedentarismo têm até o triplo de chance de envelhecer com mais saúde

Nunca é tarde para começar uma atividade física e conquistar os diversos benefícios que ela proporciona. Um estudo publicado nesta terça-feira mostrou que pessoas na faixa dos 60 anos que passam a se exercitar regularmente têm o triplo de chance de envelhecer em forma – ou seja, sem doenças crônicas, grandes limitações físicas ou problemas cognitivos e mentais graves – comparadas àquelas que permanecem sedentárias.

A pesquisa, publicada na revista British Journal of Sports Medicine, se baseou nos dados de quase 3 500 pessoas de 64 anos, em média, que foram acompanhadas ao longo de oito anos. Ao avaliar os hábitos desses participantes e como eles envelheceram, os autores concluíram que aqueles que praticavam exercícios físicos moderados ou intensos com frequência tinham menos chances de, nos oito anos seguintes, sofrer problemas como doenças cardíacas, Alzheimer, depressão ou dificuldades em realizar tarefas do dia-a-dia, como tomar banho.

Leia também:

Atividade física é melhor do que intelectual para a memória de idosos

Atividade física reduz chances de Alzheimer, mesmo em pessoas com mais de 80 anos

Exercício físico, mesmo em pequena quantidade, pode prevenir perda de memória em idosos

Atividade física pode evitar insuficiência cardíaca em idosos

Para os autores do estudo, que são da Universidade College London, na Grã-Bretanha, esses resultados apoiam “as políticas de saúde pública que visam estimular os idosos a realizar uma atividade física, mesmo em uma idade avançada”. De acordo com os pesquisadores, o ideal é que idosos pratiquem 150 minutos por semana de qualquer atividade física – vale caminhar ou até subir escadas.

(Com AFP)