Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Google está desenvolvendo cápsula que detecta câncer

Projeto tem como objetivo criar pílula que, uma vez na corrente sanguínea, libera pequenas partículas capazes de identificar atividades anormais no organismo

O Google anunciou que está trabalhando no desenvolvimento de uma cápsula que, uma vez ingerida, é capaz de detectar a presença de um câncer ou outras doenças, como as cardíacas. Segundo a empresa, a ideia é que a pílula libere, na corrente sanguínea do paciente, nanopartículas que identificam alterações bioquímicas no organismo e que, por meio de sensores, transmitem essas informações a um computador portátil.

Em comunicado, o Google afirmou que o diagnóstico precoce do câncer é fundamental para aumentar a taxa de sobreviventes entre pacientes com a doença e lamentou que, em alguns tumores, como o de pâncreas, esse tipo de detecção ainda não seja viável.

Leia também:

Google desenvolverá colher para pessoas com Parkinson

Google desenvolve lentes de contato para diabéticos

Estudos científicos vão testar aplicativo de saúde da Apple

O novo projeto é conduzido pelo Google X, divisão da empresa dedicada a pesquisas em inovações. Recentemente, a companhia anunciou outras iniciativas em saúde, como lentes de contato que ajudam pessoas a tratar o diabetes e uma colher antitremor desenvolvida para pacientes com Parkinson.

Tecnologia – Em uma conferência realizada nesta terça-feira na Califórnia, Andrew Conrad, chefe científico do Google X, explicou que as nanopartículas da cápsula devem conter um material magnético, além de anticorpos ou proteínas capazes de ligar-se a diferentes moléculas do organismo. Assim, um dispositivo portátil usado pelo paciente poderia, por meio de sensores, recolher as informações das nanopartículas, interpretá-las e descobrir se há alguma atividade anormal no corpo do indivíduo.

“Como o núcleo dessas partículas é magnético, você pode identificá-las em qualquer lugar do corpo. Essas pequenas partículas se espalhariam pelo organismo e, depois, nós as reuniríamos de volta em um lugar e perguntaríamos: ‘Então, o que você viu? Você encontrou um câncer? Você identificou algo que se parece com um quadro de ataque cardíaco? Você encontrou excesso de sódio?'”, disse Conrad.

De acordo com o Google, o projeto da cápsula para detectar o câncer está em fase inicial, e estima-se que as pesquisas serão concluídas em cinco a sete anos.

(Com agência EFE)