Exercícios de resistência podem retardar envelhecimento

Atividades como corrida e spinning aumentam número de células-tronco nos músculos - e isso ajuda o corpo a se manter mais jovem e funcionar melhor

Além de manter o peso em dia e o colesterol controlado, o exercício físico retarda o envelhecimento, acreditam cientistas israelenses. Por meio de experimentos com cobaias, os pesquisadores da Universidade Sackler de Tel Aviv conseguiram demonstrar que atividades de resistência, como corrida ou spinning, aumentam o número de células-tronco nos músculos e ajudam o corpo a renovar suas células e se manter jovem.

Quando uma pessoa ou animal envelhece, o número de células-tronco em seus músculos diminui. Isso faz com que a musculatura perca massa e reduza sua capacidade de se regenerar. O mesmo não aconteceu com camundongos submetidos a tratamentos aeróbicos. Com sessões de 20 minutos de corrida ao dia por 13 semanas, os animais conseguiram aumentar de 20% a 35% a quantidade de células-tronco em seus tecidos.

Leia também:

Leia também: na coluna de Mayana Zatz, as pesquisas sobre células-tronco

Conforme o estudo, publicado na revista científica PLoS ONE, os ratos mais velhos se beneficiaram ainda mais, com um aumento de entre 33% e 47% na quantidade de células-tronco. A pesquisa dos cientistas israelenses também mostrou que os exercícios aumentavam a disposição nos roedores mais idosos.

“Quando envelhecemos, os músculos perdem massa e diminuem sua função”, diz Dafna Benayahu, que comandou o estudo. “Como resultado, nosso sistema músculo-esquelético é mais suscetível ao desgaste diário, o que também explica o aumento do risco de quedas em idosos. Pela primeira vez, podemos explicar porque as pessoas que se exercitam chegam à idade avançada de forma mais graciosa. “